MENU
Há um ano sem vencer, Fernando está perdendo a melhor fase técnica de sua carreira. Foto: Mark Thompson/Getty Images

11 de maio de 2014 - 14:26Análises, Automobilismo

Perdendo o bonde da história

Há um ano, Fernando Alonso conquistava uma redentora vitória em casa e parecia caminhar para um novo título mundial. Hoje, depois de muito esforço, precisa se contentar com um sexto lugar no GP da Espanha, praticamente uma volta atrás do vencedor. Um resultado até acima do que a realidade da Ferrari permite, por incrível que pareça.

Desde aquele GP da Espanha de 2013 que Alonso não vence na F1. E provavelmente não vai ganhar nada em 2014. E, se continuar na Ferrari, sabe-se lá se terá alguma chance em 2015. É fato: se quiser um tricampeonato, o espanhol precisará deixar a Ferrari. Aos 32 anos, é hora de se renovar. Outrora jovem promissor e futuro quebrador de recordes, a realidade é que o asturiano está perdendo o bonde da história, deixando de aproveitar a melhor fase técnica de sua carreira.

Até hoje, o maior hiato entre títulos de um piloto de F1 foi de sete anos. Niki Lauda coroou-se bicampeão em 1977 e só rumou para o tri em 1984. Porém, o austríaco tirou dois anos sabáticos, abandonando a F1 no final de 1979 para retornar em 1982. Em anos de disputa consecutiva, o recorde “negativo” é de Graham Hill: campeão pela primeira vez em 1962 para ser bi em 1968.

O jejum de Fernando Alonso já dura 8 anos. Não é normal um piloto vencedor ficar tanto tempo sem título. Muito menos quando se trata de um muito acima da média, como ele. Se não conquistou nenhum novo campeonato desde 2006, pouco se deve a ele. Pode ter-se perdido em uma briga fratricida com Lewis Hamilton na McLaren em 2007, mas quando retornou à Renault não tinha equipamento para vencer, e mesmo assim ganhou duas corridas. Quando chegou à Ferrari, bateu na trave em 2010 e 2012, mas perdeu as disputas na reta final principalmente por causa de erros da equipe.

Erros que se sucedem, principalmente na construção dos carros. Erros na administração, que finalmente reconheceu a pouca eficiência – para dizer o mínimo – de Stefano Domenicali e o dispensou, mas colocou em seu lugar um sujeito da América do Norte que pouco entende de corridas (a ponto de Luca di Montezemolo tê-lo impedido de falar na coletiva em Barcelona). Erros na própria condução das relações entre os pilotos, que deixaram Fernando mal-acostumado com os “faster than you”, sem fazer do bom desempenho do companheiro um estímulo para evoluir.

A Ferrari é um barco sem rumo, à beira do naufrágio. E, se quiser retomar o prumo da carreira, Alonso faz muito bem em sondar uma vaga na Red Bull ou da Mercedes. É preciso salvar sua própria pele. Do contrário, terminará sua trajetória na F1 com um rol de conquistas bastante inferior ao que o seu talento merecia.

Comentários do Facebook

comentários

29 comentários

  1. Will disse:

    Ser um grande piloto passa por escolhas que vão muito além da pilotagem.
    É necessário saber estar no lugar certo, na hora certa e ser a pessoa certa, também.
    Alonso é sempre apontado como “o cara”.
    Mas escolhe equipes no momento errado (chegou a voltar para a Renault e na Mclaren enfrentou Hamilton), joga contra o patrimônio quando as coisas vão mal (a Ferrari sabe bem disso) e ainda pesa contra ele o “Crash Gate” (quando foi omisso, para dizer o mínimo).
    Nesse sentido, Vettel atesta saber ser o cara certo, na hora certa e no lugar certo – embora esse ano amargará no máximo um 3º lugar no mundial de pilotos – e tem sido um quebrador de recordes, muito precocemente, como era esperado do Alonso.

  2. eduardo disse:

    Ser um grande piloto não garante escolher o lugar para correr,o Senna penou em 93 depois de levar uma rasteira do Prost na Willians e o Alonso teve que voutar com o rabo entre as pernas na decadente Renault depois de largar a Mclarem,a Mercedes não tem motivos para mudar a dupla de pilotos a menos que o Rosberg seja destruido pelo Hamilton e a Red Bull tambem, sobra confiar no projeto Mclarem Honda mas teria que fazer o que ele não fez na Ferrari que é liderar a equipe rumo ao crecimento,outra opição pouco provavel para 2015 mas não imposivel é a troca de lugar com Vettel,se isso acontecer um dia meu palpite é que o alemão convence metade da Red Bull a ir com ele e faz o que Schumacher fez com a Ferrari e virou vencedora enquanto a Benetton afundava

  3. Tiago disse:

    Quantos anos tinha schunacher em 2004 e 2006 ? Ele ja tava perto dos 40 e guiava muito 32 anos na f1 atual ainda tem muita lenha pra queimar na ferrari ou qualquer outra equipe

  4. Luís Felipe disse:

    Concordo com o Gustavo Oliveira. Se o Alonso fosse fora de série já seria tri ou tetra. E tem mais, nesse tempo de Ferrari ele não conseguiu levar a equipe a nenhum título de construtores. O que Massa e Räikkönen conseguiram em 2007 (McLaren desclassificada por causa do Alonso) e em 2008 ( com méritos de Massa). E falar que não teve um carro competitivo na Ferrari é um tremendo absurdo. A Ferrari é a principal equipe da F1. A mais rica e conta com recursos técnicos e de pessoal de ponta. Não tem desculpa a falta de capacidade de Alonso em conquistar mundiais pela Ferrari, seja de pilotos ou de construtores. Um piloto tem que saber guiar a equipe na direção certa para vencer.

  5. patricl disse:

    o problema que na f1 atual e que o piloto com 32 anos já e considerado meio velho começa a assinar contratos de 1 ou 2 temporadas apenas!Não creio que Mclaren iria querer ele: também não creio que a Mercedes benz iria querer alonso com 32 anos sendo que tem uma dupla muito boa bem equilibrado apesar de eu torcer e preferir o Hamilton. Red bull só se o Vettel tomar coro ao menos uns 2 anos do riciardo e a ferrari vir com 1 caminhão de dinheiro pra cima de vettel. Alonso poderia tentar correr na willians pois tem motores mercedes benz. Agora me veio uma duvida a ferrari fez algum motor e carro campeão na era turbo? na f1? se alguém puder me responder eu agradeço

  6. eduardo disse:

    O Schumacher pegou a Ferrari em piores condições e ajudou a equipe a se transformar numa gigante,acredito eque o Alonso é um fora de serie mas sem a mesma liderança que o Schumaquer tinha na equipe e sem o mesmo dialogo que o Vettel tem com o corpo tecnico da Red Bull

    • Gustavo Oliveira disse:

      Também acho, e digo mais, a relação de Vettel é com a equipe como um todo.

      Um exemplo disse foram os sorrisos da Red Bull quando o alemão ultrapassou o Webber na marra. Ali deu pra notar a fortíssima liderança do alemão, não que ele seja o chefe, mas é ele em quem a equipe confia, é ele quem os mecânicos e engenheiros seguem.

      Opinião de quem vê a distância, mas minha impressão é de que Alonso não “pegou” a Ferrari.

  7. luiz disse:

    Capelli,
    larga mão de ser puxa saco e leia os comentários.
    Principalmente de Gustavo Oliveira. Matou a pau.
    Luiz

  8. Gustavo Oliveira disse:

    Discordo veemente, Alonso não é e nunca foi nem metade do que a imprensa diz que ele é.

    Se não, vejamos. O titulo de 2007 foi perdido por ele mesmo, era mais rápido e constante que Hamilton, mas foi um péssimo desportista e brigou com a equipe inteira por ela dar ao inglês tratamento equivalente. Fora isso, ainda foi o primeiro a depor no casa de espionagem. Foi ele próprio que se sabotou na McLaren, afinal foi contratado como um novo Schumacher-Senna-Prost e não aguentou ter um companheiro veloz. Erro dele, e Raikkonem até hoje agradece.

    Das duas corridas vencidas pela Renault pós 2007, é fato que se não fosse a trapaça de Briatore em Cingapura 08, o espanhol não teria ganho nada, ponto. Uma vitoria limpa por uma ex grande equipe em 2 anos, absurdamente condizente com o talento do piloto e a capacidade da equipe.

    Se Dominicali foi fracasso na Ferrari, Alonso foi o que então? Novamente, o asturiano foi contratado como um gênio e, fato, não correspondeu a expectativas, pois a equipe italiana esperava outro Schumacher, um profissional capaz de estruturar uma equipe vencedora em volta de si e, também, de sentar no carro e ganhar um campeonato. Alonso não o fez, isso são fatos.

    Será que realmente precisamos lembrar da vergonhosa cena na última corrida de 2010, quando o piloto do carro vermelho reclamava aos borbotões que um piloto fraco em um carro mediano não o deixava passar (Petrov)?

    Se Alonso fosse realmente tão bom assim, não teria ultrapassado o russo naquela corrida, não teria ganho o campeonato de 2012, não teria liderado a Ferrari de fato? Será que se o paddock o achasse assim essa Brastemp, ele não estaria já hoje em uma Red Bull, não seria Vettel o segundo piloto?

    É fácil dizer que quem erra é a equipe, e o espanhol divinamente só é punido pelas pataquadas italianas. Mas, se Alonso fosse realmente tão bom assim, seus resultados em corridas livres de erros ferraristicos compensariam, o que não acontece.

    Alonso não é tudo isso, nunca foi. Grande piloto, sim. Gênio e um dos maiores da era pós Senna, não, muito pelo contrário.

    • Capelli disse:

      Eu penso diferente, mas tua argumentação é boa. :)

    • Luis Felipe disse:

      É. Alguns pontos que você menciona são verdadeiros, sim, mas do jeito que você escreve fica parecendo que o Alonso não é de nada, o que não é verdade de jeito nenhum. O problema do Alonso, acho, é a falta de paciência e de tato nas equipes por onde passa. Quando as coisas estão ajeitadinhas, aí é tranquilo. Alonso sobra na turma. Foi assim em 2005 e 2006. O busílis é quando as coisas não correm do jeito que ele, Alonso, quer ou gostaria que fossem. Dá a impressão de ser um cara que necessita de um Briatore da vida a tiracolo fazendo-lhe as vontades o tempo inteiro. Isso não existe na F1, ao menos não costuma existir, e na Ferrari definitivamente não há esse tipo de paparicagem com ninguém, exceção feita a Michael Schumacher, que até nome de rua tem em Maranello. Minha opinião é que ou Alonso pare de mimimi, que já beira o ridículo, e ajude a equipe italiana de corpo e alma ou caia fora de uma vez. Minha impressão é que Alonso não fica na Ferrari para o ano que vem pelo que ando lendo. O clima não anda dos melhores por lá.

      • Gustavo Oliveira disse:

        De forma alguma, Luis Felipe, acho o espanhol um baita de um piloto, na verdade.

        O pontos que quis levantar foram que a opinião geral sobre ele é muito super estimada e de que ele não é um fora de série, pois se o fosse, teria ganho, no minimo mais um título.

        Fora isso, acho um cara extremamente rápido.

  9. Luciano disse:

    Mercedes e Red Bul estão fora de cogitação para o Alonso. Nunca o contratariam! McLaren até pode ser, mesmo com a péssima experiência que tiveram junto com o Hamilton. Alonso = piloto desagregador. Equipe Alonso = ele + outro. Dentre as equipes que tem estrutura e tradição que sobram para Alonso se encontram a Wiliams, McLaren. e a Ferrari. Alonso só tem como opção de permanecer na F1 nestas três equipes. Uma com motor Mercedes, uma com motor Honda (?) e permanecer na Ferrari, e se conformar em no máximo subir ao pódium em terceiro lugar. Enquanto a Mercedes terá um ano de experiência vencedora nas pistas a Honda será estreante. Quem sabe o caminho dele não será ir para a Williams com os motores Mercedes, os melhores e que possivelmente ainda serão os melhores no ano que vem? Alonso e Bottas! Massa voltaria para a Ferrari junto com o Raikkonen. Aliás Raikonen foi o único companheiro que Massa teve e se deu bem.

  10. Alan Borghini disse:

    Não acho o Alonso tudo isso, e atribuo a ele as perdas de 2010 e 2012. No primeiro, foi para a prova final com 15 pontos de vantagem para o Vettel, e não soube se valer disso. Em 2012 precisou de ajuda do companheiro para conseguir mais pontos, pois tem tido baixo desempenho em provas finais, o que podemos atribuir tanto aos autódromos como a uma instabilidade emocional. Ele tem conseguido manter uma imagem de alto nível graças a uma boa assessoria de imprensa, mas na prática tem deixado a desejar nas horas cruciais.

  11. Jobson disse:

    Capelli,

    Infelizmente, creio que o Fernando Alonso não tenha muitas opções agora. Mercedes-Benz e Red Bull têm suas duplas fechadas por pelo menos até o final de 2015. A futura parceria entre McLaren e Honda ainda é uma incógnita…

    Pelo o que lembro, Alonso tem contrato com a equipe italiana até o final da atual temporada, mas a Ferrari tem a opção de renovar por mais 2 anos com espanhol, e acho que não foge disso, ele ficará por lá, mas…

    Abraço!

  12. Junior disse:

    Alonso teve suas chances em 2010 e 2012! Se tivesse ganho seria mito! Renault 2005 e 2006 era fora de série! 2005 Kimi ganhou 7 provas e quebrou umas 4 ou 5 na liderança, fora as quebras em treinos… Mclaren 2007 também foi um senhor carro! Alonso teve várias oportunidades…

    • eduardo disse:

      Em 2005 a Mclarem era mais carro mas o Kimi corria para vencer ou quebrar tentando vencer e o Alonso depois da burrada no Canada foi perfeito,em 2007 o fato dele não ter a prioridade da equipe e ainda tomar tempo do Hamilton abalou sua cabeça

  13. Moy disse:

    O que ele levou pra Ferrari, além do título de campeão?
    Ganhar corridas, até o Maldonado ganhou. Fazer boas provas, o Bottas faz.
    Ou seja, não agregou ou fez evoluir. Não é mito.

  14. eu acho que alonso não fazia ideia da bagunça que era e é a ferrari,diferentemente de shumacher que sabendo disso levou o que tinha de melhor com ele na epoca que eram os seguintes profissionais: ross brow e byrner e junto com tod levou cinco anos para por fim na quela esculhambação de ode e bagunça que eram a ferrari.alonso errou feio e não teve a visão de shumi,por outro lado a ferrari o contrarou para ser campeão já no primeiro ano oque não aconteceu,pelo erro de estrategia de dominicalli e etc.. enfim para a ferrari o plano era alonso e não estruturar toda a equipe, aí foi o grande erro de montezemollo e tambem de alonso.( legal vc ter voltado capelli.

  15. Almir disse:

    Os título de Alonso foram conquistados com um carro, à época, superior aos demais: a Renault (só quem entende pouco de automobilismo fala que ele desbancou Schumacher) e sem resistência do companheiro de equipe (afinal, o time era dirigido por seu empresário).
    Quando enfrentou um estreante Hamilton, perdeu.
    Também já mostrou falta de inteligência emocional e total incapacidade de criar um grupo de sucesso e vitorioso.
    É um excelente piloto, sem dúvida, mas longe de ser mito.
    A sua posição atual é culpa exclusiva dele.
    Ainda tem muito a provar. Mas não sei se conseguirá!

  16. Gabriel P. disse:

    Alonso precisaria entender que faz parte de uma equipe e que não basta ser bom piloto na pista.
    A Ferrari não teve nenhuma evolução com ele e pelo jeito não vai ter. Fora isso ele só foi campeão com muita sorte (ou azar do outros) e tramoias das equipes(vide Piquet Jr. na Renault).
    E tem mais, se fosse mesmo um bom piloto, todas outras equipes estariam atrás dele.
    No futuro, vai pular de equipe em equipe sem nenhuma chance até sair da F1.

  17. Emerson disse:

    Achei que esse blog nem existisse mais. Continue atualizando, agradecemos.

  18. Glauson disse:

    Texto perfeito. Parabéns Capelli

  19. pachebel disse:

    Com odio ou amor por parte dos sempre irracionais torcedores, Alonso foi ou eh um dos mais rapidos e completos da historia. Hipoteticamente aposentando-se com so 2 titulos seria a maior injustica da historia desde Stirling Moss — Que teve Fangio pela frente, vai ter azar assim la no canal da Mancha. Mas no caminho havia Lewis Petulante (primeira curva da Australia mostrou tudo em 2007) e as brigas, depoisVettel, os erros da Ferrari (ja bem lembrados aqui).

    A Ferrari com gerenciamento e lideranca italiana sao o mais puro retrato da Italia. Que esperavam? Italiano na lideranca e resultado a la Germania ou Inglaterra?

    Pobrecillo mesmo.

  20. Luis Felipe disse:

    Quase esquecendo, Capelli: Alonso parece Ayrton Senna em 1992 e 1993 que, por mais tripas coração pudesse fazer em algumas corridas, não conseguiria derrotar as Williams no final do campeonato. Mas, se eu fosse o Alonso, ou tentava um lugar na Mercedes, o que acho difícil pois duvido que o Hamilton vá aceitá-lo por lá, ou uma vaguinha na Red Bull, o que é mais difícil ainda, pois é notório que a equipe austríaca não contrata gente de fora a peso de ouro, mas prefere promover os pilotos da sua escola, como o Ricciardo e o próprio Vettel, custando infinitamente menos e dando uma resposta tão boa quanto. Logo, ou fica na Ferrari e tenta fazer aquilo que Schumacher fez, de equipe problemática a vencedora, ou volta para a McLaren que terá motor Honda. Não vejo outras opções para o piloto espanhol a não ser essas.

  21. Luis Felipe disse:

    Finalmente o blog do Capelli ressuscitou. Estava na hora. Parabéns pelo texto.

Deixe uma resposta para Will Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>