MENU

14 de abril de 2013 - 22:10Análises, Automobilismo

Não tem para ninguém

Alonso ganhou com autoridade na China. (Foto: Clive Mason/Getty Images)

Quando se coloca um carro bom na mão de um piloto acima da média, o que se vê é exatamente o que aconteceu no GP da China: vitória esmagadora de Fernando Alonso, sem chances para ninguém. O primeiro lugar em Xangai deixou claro que a Ferrari, finalmente, acertou a mão no carro. Enquanto nos últimos anos Alonso vencia apenas em circunstâncias específicas, se debatendo contra as limitações do carro, não foi isso o que ocorreu hoje.

O espanhol ganhou colocando um binóculo na galera. Dominou a corrida do início ao fim, pulando à frente de Kimi Raikkonen na largada e passando por cima de Lewis Hamilton logo na quinta volta, pouco antes de seu primeiro pit stop. Daí para frente, fez uma prova alucinante, com tempos de volta assombrosos e cada vez melhores, que lhe garantiram uma vitória folgada. Foi um desempenho como o de Michael Schumacher nos tempos de Ferrari, ainda que este elogio tenha virado uma ofensa no senso comum brasileiro.

Uma vitória assim cria até uma certa preocupação com relação ao campeonato. As corridas não andam lá grande coisa e o temor é que Alonso, tão superior ao resto da turma, acabe dominando facilmente a temporada. A Red Bull, que é quem realmente poderia lhe fazer frente, tem suas próprias feridas para lamber. O clima dentro da equipe está péssimo com a guerra aberta entre Sebastian Vettel e Mark Webber, além do carro também não ser tão forte quanto os das últimas temporadas. Lewis Hamilton, outro que poderia lhe incomodar, ainda vai sofrer bastante na Mercedes, um time eternamente decepcionante. Kimi Raikkonen é ótimo, mas a Lotus não inspira tanta confiança. A McLaren de 2013 não existe. Logo, só sobra Alonso.

O bicampeão só não é líder do campeonato ainda graças ao abandono bobo na Malásia. Tivesse feito ao menos um quinto lugar em Sepang, algo bastante plausível, já estaria em primeiro na tabela. E tem grandes chances de sair de Sakhir, domingo que vem, na ponta.

A reviravolta que pode vir por aí é uma mudança nos pneus Pirelli a partir do GP da Espanha, já que o desempenho dos compostos italianos estão próximos do ridículo. É compreensível que a FIA tenha buscado criar mais variáveis nas corridas com pneus com características diferentes, mas os pneus macios e supermacios desenvolvidos pela Pirelli são um absurdo completo. São bons por duas voltas, depois se degradam e viram um peso que o piloto deve carregar. Dessa forma, o regulamento que obriga o uso de dois tipos de pneus torna inútil um stint de cada piloto. Para se ter uma ideia, Mark Webber, que largou dos boxes, nem completou uma volta com os macios e já mudou para os médios para se livrar do fardo desnecessário. A situação é tão esdrúxula quanto forçar Usain Bolt a correr a primeira metade dos 100 metros rasos equilibrando um ovo numa colher.

Tanto a Pirelli quanto a FIA erraram na medida e tornaram uma ideia que visava o equilíbrio num episódio deprimente. É preciso mudar. Para uma categoria que adora se definir como o “ápice da tecnologia no automobilismo”, a situação é vergonhosa.

Vergonha, também, estão passando os novatos da temporada 2013. À exceção de Jules Bianchi, que tem feito alguns milagres com a Marussia, o restante dos estreantes do campeonato são uma decepção. Valtteri Bottas caiu numa barca furada na Williams, é verdade, e dá até para dar um desconto para o finlandês. Mas, em compensação, Esteban Gutiérrez tem sido deprimente. Hoje encheu a traseira de Adrian Sutil no final da reta numa manobra que lembrou Satoru Nakajima em seus bons tempos. Max Chilton apanha de Bianchi na Marussia e consegue ficar atrás até de Charles Pic, um piloto muito do mequetrefe, com uma péssima Caterham. Aliás, Giedo van der Garde, outro estreante, apanha feio do mesmo Pic. Tomou um minuto, com carros iguais, em Xangai. Aí se vê que a geração tem muito dinheiro no bolso para pouco braço ao volante. Enquanto isso, Kamui Kobayashi não tem cockpit pra correr. Tá tudo errado.

Ou melhor… nem tudo. Ainda que preocupe pelo fato do campeonato se tornar fácil, é mais que merecido que Fernando Alonso finalmente desfrute de um carro que lhe permita voltar ao hall dos campeões. Afinal, se o asturiano não conquista nenhum título desde 2006, não é por falta de talento. Depois de seis anos sendo limitado pelo equipamento, talvez esteja mesmo na hora do reconhecimento em forma de título. Por mais que a temporada possa ser sem graça, o merecimento está acima de tudo isso.

Comentários do Facebook

comentários

32 comentários

  1. André França disse:

    Poxa, perdemos o aniversário do post.
    Mas vale parabéns atrasado?!
    ¬¬

  2. Danilo disse:

    Cri cri cri
    Alô alô alô alô (ecos)
    Capelli, cadê o blog?
    Abraços

  3. do Pandeiro disse:

    Capelli, acho que em respeito às pessoas que costumeiramente liam seu blog, você deveria dar uma satisfação, dizendo que não publicará mais nada, ou outra coisa do gênero.

  4. Jugular disse:

    Opa, tem problema não cara, apenas mude a foto que ilustra o post e substitua o nome de Alonso por Vettel, geral não vai nem perceber a diferença. E bola pra frente.

  5. Rodrigo Bezerra disse:

    Na parte do binóculo achei que estavas falando de Cingapura 2013 eheheheh

  6. Danilo disse:

    Porra Capelli, o blog tá fazendo falta!!!
    Alimenta esse danado aqui!

  7. Ricardo Gandolpho disse:

    Interessante ler isso atualmente… O que a Ferrari fez durante as férias de inverno???
    Enfim, volta logo, Capelli! Seu Blog é dus mió qui há!

  8. André França disse:

    Será que ainda dá tempo de mudar a foto do post pra do Vettel?! =D

  9. Patrick Vaz disse:

    Capelli, está na hora de tomar aquele caldo de mocotó de novo… Seu blog é muito bacana para ficar parado.

  10. André G disse:

    Previsão acertadíssima. Hahahaha

  11. samu disse:

    Dindo capello ta sumido

  12. Impressionante como a equipe Ferrari não erra quando é o Alonso e com o Massa, já há algum tempo, são trapalhadas atrás de trapalhadas… Será que ninguém vê isso??

  13. Walking dead disse:

    This blog is dead

  14. Fernando - Foz disse:

    Essa eterna discussão sobre quem é o melhor tá beirando a imbecilidade. Só não vê quem não quer que Alonso está acima do resto. É claro que Vettel é um fenômeno, precoce. E Hamilton não faz feio nem um pouco também. Mas Alonso tem alguns anos de estrada nas costas, já sabe o que vai fazer na corrida antes dela começar, dá pra ver nitidamente que ele desenhou a corrida em sua mente antes das luzes se apagarem. Ele não pergunta para a equipe o que fazer, ele dita o que vai fazer.

    Discordo do blogueiro quanto ao campeonato ficar chato se Alonso começar a dominar. Discordo totalmente, apesar de não querer isso. Fato é que o mundo tem visto Vettel levar os 03 últimos campeonatos, isso sim é chato. Que este ano seja Alonso ou qualquer outro para o bem da F1, menos Vettel.

  15. Riccardo Patrese disse:

    Parece que o Capellão hibernou de novo!!!

  16. alf disse:

    Faltou o post do GP do Bahrein e sua resenha sobre a prova .

  17. Juliano disse:

    A soberba não é um bom negócio.
    Perdão não se diz com palavras e sim com atitudes.

  18. Juliano disse:

    Gosto muito do kimi.
    Agora Fernando A. e Webber em um jantar é demais!
    Abre o olho Tião, seja humilde.
    A soberba não é um bom negócio.
    Perdão não se diz com palavras e sim com atitudes. Para o bem de todos da F1.

  19. Chiquinho disse:

    Capelli, se fosse estivesse milionário, comprasse a Caterham e fechasse um contrato de 5 anos com o Adrian Newey, qual piloto você escolheria para liderar a equipe Alonso ou Vettel??

  20. Gabriel Fabiano disse:

    Ai na próxima corrida o Vettel ganha com 30s de vantagem e você falará que o tetra já é dele. Acho que ainda tem muita coisa pra acontecer no ano

  21. André Luis Silva disse:

    Concordo que Alonso é um dos melhores, senão o melhor da atualidade. Mas vale lembrar que em 2007 ele apanhou do Hamilton, fez algumas besteiras, levou algumas ultrapassagens do Sato com Super Aguri e do Heidfeld com BMW. E o Mclaren de 2007, se não era o melhor carro, estava no mesmo nível da Ferrari. Quero dizer, ele não é essa perfeição toda. Não sou fã do Senna, mas reconheço que o Senna sim tirava leite de pedra e disputava corridas e títulos com qualquer carro que lhe dessem. Não sou fã do Senna por causa do relacionamento dele com a Globo, com o Galvão e aquelas histórias de baixar um espírito nele durante as classificações. Mas é impossível não reconhecer seu talento único. Também admirava o relacionamento dele com o Fangio.

    • Zé Maria disse:

      André, respeitando seu ponto de vista mas. . .2007 foi há um tempão. . .e o espanhol de hoje está a anos-luz do daquela época.
      Zé Maria

    • Giovani Jardim disse:

      Não concordo André. Penso que os pilotos fora de série são Raikkonen, Vettel, Hamilton e Alonso (acho que como a maioria pensa). Pra mim, Alonso é o melhor deles e já a alguns anos. Não concordo que o espanhol levou uma surra do inglês em 2007, na verdade alonso foi melhor, mas eu classifico como equilibrada a disputa. Hamilton fez mais poles (6 contra 2), Hamilton largou a frente de alonso 9 vezes e Alonso largou a frente 8 vezes (ou seja, equilíbrio). Com relação a diferença de tempo nas classificações, somente por 5 vez um deles colocou mais de 4 décimos de segundo no outro (3 a 2 para Alonso). Com relação a vitórias, foram 4 de Alonso e 4 para Hamilton. Foram 12 pódios para o Fernando e 12 para Lewis. Com relação aos pontos foram 109 para cada. Hamilton terminou a temporada em 2º e Alonso em 3º. Nada mal para Lewis, era seu ano de estreia e ele tinha só 22 anos, alias, ele foi ótimo. Mas não deu uma surra em Alonso, e convenhamos, Fernando ainda teve o desconforto e a desvantagem da McLaren privilegiar Hamilton, cria da equipe.

      Então, pra mim, foi equilibrado.

    • Marcelo disse:

      Não foi bem assim, os números da temporada mostram que Hamilton não teve essa superioridade. A única superioridade que ele teve foi a de no GP do Brasil ter um motor novo, com cerca de 30 a 60 cavalos a mais do que Alonso o que em F1 é uma vantagem absurda. E nem preciso dizer que mesmo com um equipamento inferior ele chegou na frente do inglês e só não foi campeão porque houve as inversões de posição do Massa com o Kimi (a Ferrari não deixaria de levar o campeonato). Vejo um pachequismo e uma mania de diminuir um piloto que gostemos ou não (e olha que não sou um fã do Alonso) realmente está acima da média. Vettel foi campeão da mesma forma que Villeneuve foi, com uma carro tão Adrian Newey que ele só renovou o contrato com a RBR depois que ficou sabendo que Newey ficaria no time. Piquet disse uma vez que piloto rápido tem um monte, mas piloto para acertar carro, é coisa de luxo. Essa é a diferença principal entre o alemão e o espanhol. Vettel é um piloto rápido, mas incapaz de desenvolver um carro ou de apontar um caminho (que se diga de soluções). Não fosse aquela trapalhada do Grosjean no GP de Spa, Alonso teria imposto a maior humilhação à RBR ganhando o campeonato com aquela Ferrari lego.

  22. Subscrevo, Capelli! Acho um pouco cedo para riscar a Red Bull, contudo. Mas Alonso estava mesmo um degrau acima de todos os outros em Xangai, e sai de lá como franco favorito ao título.

  23. Victor disse:

    Santo deus, que exagero. Compra um babador para não molhar o chão ai, Capelli. Patético.

    • Bruno Bertolo disse:

      Patético mesmo é não admitir o talento de alguém porque não gosta ou torce por ele. Eu não torço e não gosto de Alonso, mas concordo com a análise do Capelli no que se refere ao espanhol. Mas em regra é isso o que ocorre: a maioria sempre acha seu time, religião e/ou partido político melhor que o do outro. O fanatismo cega…

      Só discordo em criar um modelo para o restante da temporada, pois foi apenas uma corrida. A Red Bull e Vettel jamais podem ser descartados. Vide 2010.

    • Eric Musashi disse:

      E após 9 etapas, já fica claro que era necessário um babador. Tudo delírio de alonsete.

  24. Marcelo Cardoso disse:

    O mais impressionante é que a corrida do Massa foi tão apagada, que até os piores mereceram comentários, e o Massa sequer foi mencionado…parece que foi…invisível!

  25. Leonardo disse:

    O quinto e sexto parágrafos estão perfeitos. Apenas discordo de voce respeitosamente quando voce descarta os outros pilotos da disputa pelo campeonato. Acho que o Vettel e Red Bull tem capacidade para isso sim…

Deixe uma resposta para Chiquinho Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>