MENU

15 de abril de 2012 - 17:32Análises, Automobilismo

Liderança agridoce

Lewis Hamilton, sempre combativo, não ganhou nada ainda em 2012. Fez duas poles, mas não venceu e nem sequer conseguiu bater seu companheiro Jenson Button em condições normais de corrida. Porém, é o único a ter subido no pódio em todas as corridas, sempre em terceiro, e virou líder do campeonato. Pode isso, Arnaldo?

Pode, ué. Num campeonato equilibrado como o que está se desenhando, com alta divisão de vitórias (até aqui foram três ganhadores de três diferentes equipes), a regularidade acaba falando mais alto. E Hamilton, que até então nunca foi tido como um piloto cerebral, muito menos regular, surpreende ao correr com inteligência, visando marcar pontos. Está fazendo certo.

Será que Hamilton mudou? Não exatamente. Continua agressivo, como a briga com Sergio Perez e as ultrapassagens sobre Felipe Massa e Sebatian Vettel mostraram, mas já não corre mais os riscos desnecessários do passado. Porém, curiosamente, sem muita felicidade. Geralmente expansivo e alegre nos pódios, Hamilton está contido este ano. Não ganha, não está feliz, mas é líder. Um sentimento agridoce.

A presença de Button na equipe, se no ano passado desestabilizou Lewis, este ano parece estar ajudando no desenvolvimento de seu talento. Com um piloto tão completo ao lado, o campeão de 2008 precisou amadurecer para continuar competitivo. E está conseguindo. A disputa interna da McLaren é pra lá de interessante e pode se converter na briga pelo título da temporada, já que a equipe é a única que tem sido competitiva em todas as corridas. Assim, quem sabe, no fim do ano, Lewis possa finalmente sorrir.

Comentários do Facebook

comentários

16 comentários

  1. Zé Carlos disse:

    Dizer que aind anão bateu Button em condições normais é puxado. O Button teve um problema na Malásia mas passou o Hamilton depois de um erro no pit e não por mérito.

  2. Marques disse:

    O Hamilton já provou que anda rápido com qualquer carro, basta lembrar da Mclaren de 2009. Também acho, como disse o colega acima, que o carro foi desenhado ao redor do Button mas mesmo assim o Hamilton é mais rápido. Se o pneu durasse um pouco mais o campeonato estava decidido. Mas como não dura ele está se adaptando bem e essa mudança de postura é muito interessante (e mesmo com ela acredito que tenha sido o piloto que mais fez ultrapassagens no GP). Ele está aprendendo a forçar no momento certo e acho que no momento em que conseguir a primeira vitória nesse ano vai deslanchar de vez.

  3. KRATOS disse:

    Com as mudanças de 2009 em diante, as corridas ficaram marcadas pelo grande desgate dos pneus, e também a proibição dos treinos entre os GP’s. Está aí o grande problema de Hamilton (que parece estar se adaptando finalmente) e de outros bons pilotos, pois na F1 em que os pilotos podem acelerar e usar o limite dos carros, não haveria tanto equilíbrio. Seriam uns poucos (e verdadeiramente geniais) pilotos disputando o título, e o resto do pelotão brigando por resultados medianos. Hamilton tem chances de ganhar o campeonato, mas não será através do seu puro talento, será através da burocracia. É o que é a F1 hoje.

  4. claudinei macedo disse:

    estoucm vc hamilton

  5. claudinei macedo disse:

    hamilton é uma alegria velo pilotando,, é agressivo,, e é muito bom,, torço e muitooo por ele

  6. Duas frases na Fórmula 1 no GP da China neste fim de semana, de dois pilotos da Ferrari, são no mínimo interessantes para reflexão:

    “Temos um problema sério de velocidade final. Fiquei atrás de uma Force India por muitas voltas e não consegui ultrapassar porque ela era mais rápida, mesmo que eu estivesse usando a asa.” Felipe Massa.

    “Com a nossa velocidade, foi praticamente impossível ultrapassar na reta, então eu tive de inventar algumas manobras em outros pontos da pista.”

    Diante de um problema, há gente que diz que nada pode fazer, e há gente que tem criatividade, ousadia, audácia e inventa o caminho a seguir. A tênue diferença entre a regularidade e a genialidade.

  7. Zé Fini disse:

    Não acho que foi a presença do Button na equipe que desestabilizou Hamilton em 2011. Ou pelo menos não só a presença do Button, visto que ele está na equipe desde 2010.

    Acredito que ele ficou instável porque levava os problemas particulares para as corridas, somado com a má assessoria, deu no que deu. Ao contrário de Button, que tinha a namorada sempre sorridente ao lado, o pai John Button idem, ou seja, sua vida particular estava mais do que boa.

    Parece que Hamilton usou as férias para resoover suas pendengas familiares com sua gostosa namorada, seu paiu e seus empresários. e parece que deu certo, pq esse ano, ele é outra pessoa, mais maduro e mais responsável, pelo menos nesse início de temporada.

  8. 50 cent disse:

    Eu acho que Hamilton tá dançando conforme a música.
    O carro foi feito ao estilo de Button, por isso toda essa cautela no início das corridas.
    Da- lhe Hamilton

  9. Erickson disse:

    Acho que esta foi a melhor análise que eu já li sobre o Lewis, nesta temporada.
    Só que é estranho vê-lo assim, para quem é fã de F1 e gosta especificamente do estilo de pilotagem do garoto de Woking. Mas se é assim que ele vai conquistar o Mundial de 2012, que seja, mas que também não nos deixe sem o show de arrojo que só ele no atual grid sabe fazer!!!

  10. Rodrigo CPQ disse:

    Capelli, só uns pitacos:
    – creio que você foi perfeito na análise do Hamilton, e o Felipe Fugazi concluiu bem;
    – sobre a Williams, estão bem agora, mas acho que de Mônaco pra frente vai voltar a brigar com o pelotão lá de trás; as outros equipes evoluirão, e acho que a Williams não vai andar no mesmo ritmo das outras (torço para que ande, e até melhor);
    – sobre o Massa, ele não fez uma corrida ruim, mas errou feio na estratégia; ponto importante que passou batido: ele ficou preso por duas vezes atrás da Force India do Di Resta, que tem motor Mercedes, andando muito nas retas; não conseguiu passar de jeito nenhum, e ficou boa parte da corrida nessa situação; vale lembrar que ele chegou 5s atrás do Alonso, apenas;
    – e, pra matar, o Bruno Senna: você chamou a atenção no twitter, e o Lito Cavalcanti idem: “de novo o Bruno Senna tocou em alguém na largada”; acho que dessa vez a culpa não foi dele… frearam forte na frente do Massa, o Massa idem e o Bruno não freou a tempo; ia sobrar pra alguém, isso é fato, mas acho que ele não teve taaaaaaaanta culpa assim no cartório.

    É isso. []s

    • Marcio Souza disse:

      Eu acho que as batidas do Senna tem a ver com a genética: Um Senna não sabe correr atrás dos outros…

      Brincadeirinha… Forte abraço!

  11. Vitório Bahia disse:

    Legal, essa nova postura do Hamiltão é promissora!
    Ainda acredito mais nele para o título do que no Button.
    Hamilton sabe, como ninguém, como se faz para vencer uma corrida.
    Pecava muito quando caia para segundo ou terceiro e não tinha a paciencia necessária para remar tudo de novo.

    Com esta nova postura, as vitórias aparecerão… é só uma questão de tempo.

  12. Felipe Fugazi disse:

    Já era hora do Hamilton começar a dosar o acelerador. É normal todo piloto jovem ser agressivo, mas ele já está na sua sexta temporada.
    Com esses pneus que se esfarelam ultra-rápido então não basta ser apenas agressivo.
    Ou ele mostra que é mais que apenas um pé-pesado, ou quando não tiver um carro de ponta vai virar um novo Jacques Villeneuve, um dos campeões mais sem mérito da história recente da F-1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>