MENU

18 de março de 2012 - 6:48Análises, Automobilismo

Juntos!

O slogan do Banco Santander é “Juntos!” e soa como perfeita ironia para o que aconteceu com os dois pilotos brasileiros patrocinados pelo banco na Austrália. Felipe Massa e Bruno Senna foram para o buraco juntinhos, inclusive de “braços dados” num toque que enganchou seus dois carros, que andaram metros grudadinhos, juntinhos.

A corrida de Felipe Massa foi daquelas para esquecer. Se o brasileiro vinha de uma péssima temporada em 2011, a abertura de 2012 é desoladora, já que as coisas conseguiram ficar ainda piores. O piloto da Ferrari até começou a corrida bem, ganhou posições, foi agressivo, fez ultrapassagens, mas subitamente ficou sem pneus. Com cerca de dez voltas, seus pneus macios foram para o vinagre. Parou nos boxes cedo, voltou lá atrás, tentou recuperação, mas ficou sem pneus de novo. Foi o piloto que mais trocas fez, com três, e brigava pelas últimas posições quando se enroscou com Bruno Senna e abandonou.

O que torna mais grave a situação é que, se Felipe conseguiu ser rápido em alguns momentos, foi de uma forma artificial. De nada adianta fazer boas voltas, ultrapassagens, se você está jogando seus pneus fora. É inadmissível ser um destruidor de pneus, simplesmente não faz sentido. Enquanto isso, Fernando Alonso, de condução mais suave, brigava na frente e chegava em quinto, com dois pit stops. Felipe precisará se reinventar. E começo a temer por uma demissão ainda durante a temporada. O que ele fez hoje no Albert Park é similar ao que fizeram Luca Badoer e Giancarlo Fisichella quando o substituíram em 2009: nada. O F2012 pode ser uma porcaria, mas é preciso ser melhor do que isso.

Bruno Senna, por sua vez, tem um álibi: foi abalroado na largada, seu carro saltou, teve que dar uma volta inteira com um pneu furado e provavelmente isso causou um dano maior em sua Williams. Com um pit stop já na primeira volta, não tinha muito como fazer milagre. Foi para o fundo do pelotão e não tinha muito o que fazer se não torcer para chegar entre os 15, 16 primeiros. Mesmo assim, a corrida foi bem ruim e foi encerrada com um “abraço” na Ferrari de Felipe Massa.

Enfim, os dois saem da Austrália por baixo. E juntos.

Comentários do Facebook

comentários

15 comentários

  1. Lucas disse:

    Curioso é que até 2004 o Alonso era conhecido como destruidor de pneus, e quando anunciaram que o Fisichella (que tinha excelente histórico contra companheiros de equipe, alguns desempenhos excelentes em equipes fracas e famoso pela condução mais suave) iria para a Renault, não foram poucos os que acharam que o Alonso ia ser jantado em 2005, ano em que os pneus tinham que durar a corrida inteira. E foi justamente o contrário – Alonso se reinventou, e hoje quase ninguém lembra mais do quanto ele castigava a borracha antes de ser campeão.

  2. George McCrae disse:

    O Felipe Massa é o novo Michele Alboreto da Ferrari. O italiano chegou em 1984 na equipe e em 1985 disputou o título e muitos pensavam que o italiano seria campeão em breve, mas não foi o que aconteceu. Depois de 1985, o italiano não foi mais o mesmo, pois não ganhou mais corridas e foi perdendo espaço (principalmente após a chegada de Gerhard Berger) até que foi demitido no final de 1988. O Massa tem histórico parecido com a do italiano. Ganhou corridas entre 2006 e 2008, disputou o título de 2008 e em 2009 sua temporada já vinha sendo uma porcaria até o acidente piorar mais a situação. As temporadas de 2010, 2011 foi de esquecer e 2012 parece que vai ser pior.

  3. gera disse:

    Reinventando: “Restaurante Felipe Massas”

  4. Paulo Souza disse:

    Que tristeza essa Ferrari ornitobico, não? Que tristeza o Massa “mola” sem nenhuma força pra brigar com o espanhol, não? Quase 1 segundo atrás na classificação e uma eternidade na corrida. E lá vamos nós ouvir a história dos pneus novamente.

  5. Elcio Torres disse:

    Vejo três opções para o Massa:

    1) Acompanhar o Barrichello e ir para a Indy ainda nesse ano;
    2) Ir para a StockCars
    3) Ir para a beirada do rio pescar.

    Eu voto na terceira opção. Uma coisa é certa: F1 acabou pra ele e torço muito para que ela não acabe com a vida dele…

  6. Murilo disse:

    Massa melhor vc vender spaghetti quentinho e deixar a vaga pra alguem mais capaz.

  7. #voltarubinhonaferrariounawilliams

  8. Lucas R disse:

    O desfecho da corrida dos brasileiros me pareceu algo assim: um dos pilotos chegou e falou para o outro: “Chega! Já fizemos fiasco demais por hoje. Vamos sair antes que as coisas piorem”. E deu no que deu.

    A verdade é que o Felipe Massa está sofrendo demais com o carro. Mais uma vez a Ferrari faz um carro ruim e apenas um dos seus pilotos consegue levá-lo adiante. Em 2008 e 2009 esse papel era do Massa. Agora é a vez dele sofrer com o carro enquanto vê o companheiro levar a melhor. A coisa está feia para o brasileiro da Ferrari. Se a equipe não superar essa crise ele sai de lá antes da temporada acabar.

    Quanto ao Bruno Senna, acredito que vai levar algum tempo para o vermos na frente do companheiro de equipe. A questão é experiência – ou falta de. O brasileiro teve problemas na corrida, o que o deixou bem atrás do companheiro de equipe. Mas não podemos esquecer que ele também se classificou mal. Se formos medir o desempenho dele pela classificação, ele precisa melhorar muito.

  9. Daniel Ramos disse:

    Acredito que o Massa errou com o carro,ele quis tirar muito do mesmo,e todos sabemos que o carro é uma extrema porcaria(balança demais,não têm velocidade de reta),e dependendo do piloto os pneus vão pro o pau,e foi o caso do Massa,ele têm uma forma de pilotar muito forte e num carro assim,a coisa fica ruim pra ele.O Alonso é melhor neste ponto,ele piloto realmente mais suave,se preocupa mais com os pneus,não é um Button da Ferrari,mas ele é melhor do que o Brasileiro neste quesito.Acredito que essa primeira corrida foi atípica,e ele têm(Têm) que se recuperar na próxima corrida.Pois têm muita gente de olho na vaga do Felipe,acredito que ele pode ter chances em outras equipes(como Red Bull e Mclaren),mas claro que nenhuma das duas é igual a Ferrari.
    Já o Bruno Senna,foi uma corrida de estréia cheia de imprevistos pra ele,uma Toro Rosso deu uma bancada nele logo na largada,e depois o carro não foi mais o mesmo,e por fim nesta batida com o Massa,infelizmente são coisas que ocorrem,mas acredito que a Williams tá muito melhor do que no ano passado,e o motor Renault combinou com o carro,apesar de começo um pouco apagado,aposto nela melhor a partir da próxima prova,e a coloco como possível candidata a disputar o título no Pelotão Intermediário.O Maldonado,não foi lá aquelas coisas,acho que ele foi bem,pois não teve os mesmos imprevistos do Bruno,mas bateu o carro nos outros mais do que não sei o que,e acabou batendo por besteira(na minha opinião),continua sendo o velho e louco(no bom sentido claro) Maldonado da época da GP2.

    • Adriano Muha disse:

      Felipe não tem chances na Red Bull nem na McLaren. Se sair da Ferrari, o máximo que vai conseguir é voltar para a Sauber. Ele não consegue se acostumar com esses pneus que acabam em 10 voltas. Quando ele entrou na F1 os pneus duravam 20, 25 voltas. Desde jovem ele aprendeu um estilo de guiar, e agora não é fácil alterar.

      Nessa era dos pneus que viram farelo, quem guia de forma mais suave tem uma enorme vantagem.

  10. Bertolo disse:

    E o Massa disse que não tomava meio segundo de ninguém, que o problema era o aquecimento dos pneus, do alinhamento de Saturno com Júpiter, etc… Agora leva 1s em treino e em corrida a coisa é semelhante.

    A maior diferença entre companheiros de equipe é clara e absurda: Alonso e Massa. Ainda que o espanhol seja excelente, nada justifica tamanha discrepância. Barrichello, tão criticado no Brasil, jamais teve tamanha desvantagem para M. Schumacher.

    Acho que a demissão de Felipe ocorre na 10ª corrida se continuar assim…

  11. Ana disse:

    Pra quem ta atirando pedra no Senna, lembrem-se ele chegou na F1 em cinco anos, coisa que pilotos demoram uma vida inteira pra chegar, quando chegam. E difilcimente um piloto chega apavorando nos primeiros anos, como no caso do Hamilton que já chegou brigando por título. A maioria demora um pouco pra se destacar. Acho que o B.Senna merece um crédito. Nós brasileiros somos cruéis com nosso conterraneos , já que esses parecem que não podem NUNCA errar. Quanto ao Massa acho que ele não sabe lidar com pressão, nuca soube por sinal, e pra mim já deu o q tinha q dar

  12. Diego Queiroz disse:

    Massa e Bruno: Patati e Patatá

  13. Diego Queiroz disse:

    É pachecada……….as emocionantes manhãs de domingo com o coração verde e amarelo batendo forte foram pro saco!

  14. Sandro Auzani disse:

    O problema dos dois é Força Mental. Ambos acusam o golpe quando “tomam pau” dos companheiros de equipe.
    O Felipe já havia mostrado isso na Sauber quando apanhava do Nick Heidfel, na Ferrari em 2007 quando apanhou do Haikkonen e desde sempre para o Alonso.
    O Bruno ano passado quando o Petrov largava na frente dele acontecia o mesmo.
    Nesta madrugad não foi diferente, enquanto o Alonso e o Maldonado duelavam até a última volta, nossos dois representantes morreram abraçados lá no fundo do pelotão.
    Que saudade ná do Piquetzão e o Senna (o único e verdadeiro) que destruiam mentalmente seus adversários e qundo se encontravam na pista davam show (vide Hungria 1986).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>