MENU

9 de maio de 2010 - 11:28Análises, Box

Rapidinhas: GP da Espanha

- Deu a lógica em Barcelona. Corrida chata, decidida na primeira curva. Mark Webber, pole, arrancou melhor que seu companheiro Sebastian Vettel e disparou na frente. Ganhou com folga e tranquilidade.

- Dotado do mesmo carro, Vettel não conseguiu formar a dobradinha. Ficou em segundo após a largada, mas perdeu a posição para Lewis Hamilton na troca de pneus e, mesmo com um carro melhor, não conseguiu retomar a posição, dadas as dificuldades de ultrapassagem do circuito. No final da prova, enfrentou problemas de freios e precisou fazer uma troca extra de pneus, perdendo mais uma posição. Conseguiu o pódio na última volta, depois que Hamilton teve um pneu furado.

- Lewis vinha bem com a McLaren e chegaria numa excelente segunda posição, até que viu sua corrida ruir na penúltima volta. Seu pneu dianteiro esquerdo estourou na entrada de uma curva e o inglês acabou batendo na barreira de pneus. Azar de um, sorte de outros. Fernando Alonso comemorou.

- A Ferrari não é páreo para McLaren e Red Bull e Alonso conseguiria, se muito, uma quinta posição hoje. Mas, além de ter sido competente, se viu favorecido por infortúnios dos adversários. Ganhou dois lugares com os problemas de Hamilton e Vettel. E Jenson Button, que poderia incomodá-lo, perdeu a posição para Michael Schumacher na troca de pneus e ficou encaixotado atrás da Mercedes do alemão.

- A diferença de velocidade no final da reta entre a McLaren e a Mercedes era gigantesca, graças ao duto de ar do carro da equipe inglesa. Durante cinco ou seis voltas, Button deu pinta que ultrapassaria, mas Schumacher defendeu-se de forma magistral. Quando viu que o alemão seria mesmo um osso duro de roer, o atual campeão do mundo desistiu e resignou-se com a situação. Bom para Alonso, segundo colocado.

- Se Michael Schumacher renasceu nessa corrida, Nico Rosberg enfrentou os maiores problemas da temporada até aqui. Foi atrapalhado por um mecânico afobado, que o liberou do pit antes da hora, e acabou perdendo muito tempo. Chegou apenas em 13º, depois de fazer um pit stop extra. Como resultado, perdeu a segunda posição no campeonato, despencando para quinto na classificação.

- Outro que vem em queda livre depois de um bom início de temporada é Felipe Massa. Foi facilmente batido por Fernando Alonso outra vez, tanto na classificação quanto na corrida. Foi sexto na prova e agora é sétimo no Mundial de Pilotos, bem longe da liderança que chegou a ocupar.

Alonso, segundo, foi quem se deu melhor na corrida. (Foto: AP Photo/Manu Fernandez)

Alonso, segundo, foi quem se deu melhor na corrida. (Foto: AP Photo/Manu Fernandez)

- Quem tem mais motivos para comemorar, mesmo é Alonso. Dificilmente esperava uma segunda posição que, somada ao mau resultado de Button, o deixou em segundo no campeonato, a apenas três pontos do inglês. Saiu muito melhor do que a encomenda.

- A Red Bull, ainda que dominante, tem Vettel e Webber em apenas terceiro e quarto no campeonato, enquanto que ocupa o terceiro entre os construtores. Mas, dada a enorme diferença apresentada hoje em Barcelona, é apenas questão de tempo para que pulem na ponta dos campeonatos. Semana que vem, em Mônaco, já pode ser a hora.

- Destaque para Rubens Barrichello, que saltou de 18º para 12º na largada e terminou a corrida numa bela nona posição. Lucas di Grassi foi último com a Virgin, mas pelo menos chegou. Aliás, pela primeira vez os dois carros da equipe concluem uma corrida. Está melhorando.

- Quem não dá sinais de melhora é a lanterninha Hispania. O carro é muito lento e Karun Chandhok acabou, involuntariamente, atrapalhando as corridas de Felipe Massa e Sebastien Buemi. É uma pena que a equipe espanhola tenha virado uma piada de mau gosto. Bruno Senna saiu logo na quarta curva da corrida, não sei se por problema mecânico ou por erro de pilotagem mesmo.

- Há pouco mais a acrescentar. Foi, como se imaginava, uma corrida insuportável. Foi a 20ª no circuito de Montmeló e conto nos dedos as boas disputas acontecidas lá esses anos todos. Chega a dar saudades de Jerez, que era outra pista chata pra diabo.

- Semana que vem já tem Mônaco que, se também não proporciona corridas assim tão emocionantes, pelo menos tem um certo charme e uma paisagem que nos mantém acordados. Porque as corridas na Espanha são um quase irrecusável convite a um cochilo.

RESULTADO GP DA ESPANHA 2010

Comentários do Facebook

comentários

50 comentários

  1. Roberto Magno disse:

    Parabens para o Rubens que fez uma corrida brilhante, e pontuando mais uma vez…agora se a willians não melhorar seus carros ai fica complicado.

  2. Eduardo disse:

    A Ferrari está quebrando a cabeça para encontrar o problema do carro de Massa….. mas eu sei qual é :
    O problema do carro de Massa é que ele não está sendo guiado pelo Kubica!!!!!!

  3. Realista disse:

    Comparar o Piquet e o Mansell em termos de talento é tão ridículo que chega a parecer ofensivo. Tanto quanto comparar o James Hunt 2, ops, o Button com o Barrichello.

    Por algum acaso alguma corrida na Espanha foi boa, em alguma época? Jerez era uma pista travada e chata, Barcelona não é tão travada mas é tão ou mais chata quanto. Risquem esse país do mapa da fórmula 1, por favor, e coloquem Estoril e sua parabólica de volta.

    • Lucas R disse:

      Esqueceu de citar Valência.

      • Realista disse:

        Ah, eu particularmente gosto de corridas de rua. Fato é que, em corridas de rua, espera-se que haja poucas ultrapassagens, uma corrida mais linear (embora Adelaide fosse sensacional), portanto não se pode culpar a pista pela falta de emoção.

  4. do Pandeiro disse:

    Oi Capelli. Falar sobre a chatice da corrida de ontem é chover no molhado. Mas não se preocupem, domingo que vem tem mais. Vem Mônaco por aí. Aliás, não consigo entender nem mais a mim mesmo. Assisto às corridas, assim como um bando de malucos, vibro com elas e me esqueço que nem corridas mais são. Afinal, uma “corrida” de verdade é para que vença o mais veloz…

  5. Anderson disse:

    Ta na cara de quem sabe poupar pneus e equipamento e quem não sabe fica pelo caminho!
    Miltão anda forte mas não sabe poupar pneus,Vettel então 2° vez que fica sem freios!!!

  6. Roberto Taborda disse:

    O problema é que esse GP TINHA QUE SER NO FIM DA TEMPORADA como eram os Gps da Espanha até 91. Sendo a abertura da fase européia, acaba que os dados dos testes estão atualizados, enquanto se a prova fosse em Setembro, as coisas estariam bem diferentes no traçado….

  7. @palermodpr hehehe comentários sobre a corrida, deixarei isso p/ quem entende: olha 1 link do blog do @ivancapelli http://bit.ly/cfwech ;)

  8. Kik0 disse:

    Sorte? Sim!!! Mas ela não vem sozinha não. O que acontece é que tanto o Hamilton quanto o Vettel são muito agressivos e não conseguem administrar os recursos. Ou acabam com o freio ou acabam com o pneu, como foi o caso hoje. O Alonso sabe muito bem correr bem e poupar o carro e seus componentes.

  9. Luis Skinner disse:

    Capelli,
    Discordo de você quanto ao Chandok. Acho que considerando a bomba que ele tem nas mãos, ele vem fazendo um trabalho bem melhor que o companheiro Bruno. Hoje ele não teve culpa de nada… o Massa foi afoito e o Alguersuari (não o Buemi) simplesmente jogou o carro em cima dele (tanto que levou uma punição dos comissários), motivo pelo qual ele teve que abandonar a prova.
    Luis.

  10. Klauss Tofanetto disse:

    Meus pitacos:

    Lewis Hamilton não sabe poupar pneus;

    A Hispania não passa deste ano, e a Virgin, como uma nova Red Bull, com um empresário maluco, marketing gigante e dinheiro por trás, daqui a uns 5 anos vai deixar pra trás gente como Sauber, Williams, Toro Rosso e Force India;

    A “queda livre” do Massa que não anda muito legal — uma pena, na verdade;

    Pilotos que faziam a diferença pela dedicação como Alonso e Schumacher sentem mais dificuldades com a instituição da proibição de testes (e das equipes, a Ferrari também).

    • ELF_TL72 disse:

      Embora não goste muito de previsões, concordo com tudo que vc disse.
      No mais, não sei se o pneu furado do Hamilton foi uma questão de sorte ou azar. Que ele não sabe poupar não só pneu, mas todo o equipamento, isso é verdade. O fato de ter estourado pode ser por desgaste que ele mesmo causou ou por ter passado sobre algo que furou. Talvez se tivesse com os pneus em melhor estado, o detrito não teria sido suficiente para detonar o pneu…
      Mas o “se” não corre, então é só especulação.
      Abraços!

  11. Renato Muller disse:

    E eu dei uma cochilada boooooa, entre as voltas 35 e 55, mais ou menos. Não perdi nada, nada, nada. Sexta-feira eu virei no trabalho e falei “nossa, a corrida de Barcelona é a mais chata do campeonato! Quer dizer, depois da Hungria… de Valencia também… de Cingapura… Abu Dhabi também é um lixo… Mônaco…” Tá feia a coisa!!!!

  12. luciano maciel disse:

    o GP da Espanha é tão chato quanto Hungria!

  13. Eduardo Casola Filho disse:

    A corrida foi do jeito que se imaginava. Realmente chata, mas normal para Barcelona.

    O Alonso é outro rabudo, pois no campeonato vem sendo o constante e as coisas vão acontecendo ao seu favor. O Felipe parece ser fadado ao fato de ser o piloto 1B, apesar da diferença entre os dois ser menor do que se esperava na Espanha, mas pouco para o que a RG queria.

    O Hamilton e o Vettel por sua vez tem um sapo enterrado em cada quintal pois os dois sofrem com problemas, ora por erros deles e no caso do alemão por azar de várias quebras, vão se complicando.

    No mais boa corrida de Schumacher (o campeão voltou?) e Barrichello (raridade, boa largada). o Webber destruindo, mas mesmo quando ganha acaba sendo um coadjuvante.

    E uma previsão: Em Mônaco, pelo menos teremos 12 abandonos.

    Trulli, Kovaleinen, Glock, Di Grassi, Senna, Chandock e outros seis que ao tentarem dar uma volta vão acertá-los em cheio!

    • Guilherme disse:

      Capelli, depois você poderia fazer um post “traduzindo” ou ensinando a ler as informações na telinha preta com o resultado? por exemplo, o que significa quando há alguma coisa escrita em verde e etc..

      • Lucas R disse:

        Vou responder pelo Capelli.

        A tela do Live Timing que o Capelli inclui no final dos posts serve mais para vermos as posições em que os pilotos terminaram a prova e a distância que estavam entre si ao completarem a última volta. O código de cores só é útil para quem está acompanhando a corrida em tempo real.

        Na primeira coluna temos o número da posição dos carros; na segunda, o número do carro e seu respectivo piloto; na terceira, a distância de cada um dos carros em relação ao líder; na quarta, a distância de cada um dos carros em relação ao que está uma posição à frente; na quinta, o tempo da última volta completada; nas três colunas seguintes, o tempo dos setores e por último temos o número de paradas nos boxes. Na parte inferior aparece o nome do piloto que fez a melhor volta, o tempo da melhor volta; e o número da volta em que esse tempo foi marcado.

        No rodapé, em “Track Status” são mostradas as condições da pista: um círculo verde mostra que está tudo OK; um triângulo amarelo indica que há bandeira amarela em algum onto do circuito; SCS, indica que o Safety Car está em espera; SCD indica que o Safety Car está em uso; e um quadrado vermelho indica bandeira vermelha.

        A cor amarela é a cor padrão utilizada para mnostrar os dados. A cor branca indica os dados atualizados por último. A cor verde indica que o piloto conseguiu fazer o melhor tempo dele. A cor rosa indica que o piloto conseguiu fazer o melhor tempo da prova. A cor vermelha indica que um carro está entrando ou saindo dos boxes. E a cor cinza, usada somente no treino classificatório, indica que o piloto foi eliminado no Q1 ou no Q2.

        Quando um carro entra nos boxes a informação IN PIT aparece no lugar do tempo de volta. Quando ele deixa os boxes, aparece a palavra OUT. Quando um piloto abandona por quebra ou acidente, aparece a palavra STOP, na coluna correspondente ao setor em que o carro parou. Quando um carro é recolhido para a garagem, aparece a palavra RETIRED na coluna correspondente ao tempo de volta.

  14. Foi muito chata, mas poderia ter sido mais chata ainda, se eu tivesse alimentado esperanças de ver uma prova emocionante em Barcelona. Não foi o caso. Mas as tentativas inócuas de ultrapassagem, os problemas em pit stops e os problemas mecânicos até que aliviaram o tédio.

  15. Luiz G disse:

    Eu estou convencido de que, para vencer na F1 é só uma questão de quem tem mais “sorte”.
    Se o sujeito é “sortudo”, então é campeão…Se não, nunca será campeão.

    Quase todos os pilotos da f1 tem a mesma dose de Talento. Só não tem a mesma dose de sorte.

    A sorte de ter o carro certo, na temporada certa, na equipe certa.
    A sorte do pneu aguentar até o fim da corrida e o motor não estourar.
    A sorte do retardatário não bater no líder da corrida…e por aí vai…

    Button não tem mais talento Barrichello…Só teve mais sorte.
    Hamilton não tem mais talento que Massa…Só teve mais sorte.
    Piquet não tinha mais talento que Mansell…Só teve mais sorte.
    Pra não falar no Stirling Moss e no Carlos Reutmann.

    Hoje Hamilton não teve sorte. Perdeu a corrida, assim como Massa perdeu o campeonato na Hungria em 2008.
    A sorte manda na F1.

    • Bruno disse:

      Button com o mesmo talento que Barriquelo?
      Piquet com o mesmo talento que mansel? Quanta viagem.

    • daniel disse:

      comentario muito superficial…tu nao sabe nada…

    • Douglas disse:

      Que viagem!!! MANJANADA !!!! hahahahaha

    • André Luiz disse:

      O Hamilton não tem mais talento que o Massa? Você só pode estar de brincadeira.
      O Hamilton é muito mais piloto que o Massa. Outra coisa, o Button, sim, tem muita sorte. Pois o Hamilton é muito mais piloto que ele, mas não tem tido sorte este ano.

      • Mário Campos disse:

        Blá, blá, blá!!!

        Se o Hamilton não fosse um destruidor de carros talvez ele tivesse tanto talento quanto o Massa ou sorte quanto o Button. Foi campeão porque a Ferrari foi incompetente. Senão iria esperar ficar velho, como o Mansell, e ter uma equipe muito superior e um companheiro bunda mole.

    • Luiz G disse:

      Bruno, Daniel, Douglas, Arnold e André Luiz,

      Eu imagino que meu comentário pareça infeliz e maluco, mas…

      É a pura verdade.

      Eu acompanho F1 há muitos anos pra “não saber nada”.
      Não existe muita diferença de talento entre um campeão e um vice-campeão…Existe sim, diferença de oportunidades e…MUITA sorte!

      Leiam a história da F1 e depois conversamos mais.
      Abraços.

      • Victor Koiti disse:

        eu acredito que a sorte e o talento na f1 são duas coisas que nós não podemos analisar com muita precisão se sabemos apenas o que vemos na tv e algumas informações de especialistas.
        por exemplo, falam que o hamilton é muito mais piloto que o button, mas eu acho que a diferença não é talento e também não é sorte, a maior difença está (minha opnião) no estilo de pilotagem. hamilton tem um estilo que exige muito mais do carro e que é mais rápido do que o estilo de button. enquanto hamilton faz corridas espetaculares e termina em posições boas, button anda discretamente, sendo “talentoso” apenas quando precisa e além disso, ele escolhe os pneus certos na hora certa por causa de sensibilidade e não por sorte. e com isso consegue resultados melhores que hamilton.
        e falam que hamilton é muuuuuuuuito mais talentoso.
        apesar do meu argumento ser pouco para convencer as pessoas, eu quero apenas dizer algo que tenho certeza: não se pode falar de talento, sorte se não temos muitas provas conclusivas.

        • Luiz G disse:

          Brilhante comentário Victor.

          Realmente, é difícil comentar sobre Talento sem bases maiores.

          Se considerarmos talento como a simples condução de um carro, então diremos que Ayrton Senna, Lewis Hamilton, Gilles Villeneuve, Ronnie Peterson e Jim Clark foram os melhores da história.

          Se considerarmos que talento é mais do que pilotar um carro, mas também saber construir, desenvolver e melhorar um carro, não podemos considerar nenhum desses como grandes, pois não entendiam muito de mecânica. Então Nelson Piquet, Fittipaldi, Mario Andretti, Prost, Patrese ou Barrichello foram os melhores.

          Se considerarmos que talento é o cara saber criar oportunidades para si, então Lauda, Fangio, Mansell, Hakkinen ou Schumacher foram os melhores.

          Então, tudo isso é muito relativo. No fim das contas, chamamos de “talentoso”, o cara que vence corridas e campeonatos…sendo, ou não, o melhor piloto da temporada.

          Podemos dizer que Massa perdeu o campeonato de 2008 por falta de competência, mas o motor estourar na Hungria a duas voltas do fim e a equipe esquecer de tirar a mangueira do tanque ao liberar o carro do Pit-stop, me parece mais falta de sorte do que incompetência.

          Em 2009 Button foi o campeão. Será que ele era o piloto mais talentoso do Grid ou apenas deu a sorte de estar no carro certo, bem na hora em que a equipe dá um salto brutal de qualidade. Será que a Brawn teria tamanho desempenho sem o conhecimento técnico de Barrichello?

          Em 1998 e 1999 Hakinen foi bi-campeão. Coulthard teve que deixá-lo passar umas duas vezes nesse período. Hakkinen era tão bom a ponto de ser bi-campeão? Ou será que deu a sorte de cair nas graças de Ron Dennis?

          F1 é muito mais do que talento…Tem mais “sorte” do que se imagina.

          …E mesmo assim, eu assisto!

      • Realista disse:

        Sabe que quando dizes que “acompanha F1 há muito tempo”, mais parece um absurdo o que postaste. Uma criança dizendo algo assim já seria, mas ninguém levaria a sério. Ao afirmares que pensas saber do assunto, só mostras que estás a falar sério – o que é alarmante.

        Nem a tua definição esquisita de “talento”, onde incluis Mansell como “criador de oportunidades para si” pode ser levada a sério. Se existiu alguém que só sabia jogar oportunidades pela janela, este se chamava Nigel Mansell, o principal inspirador do Lewis Hamilton.

        • Luiz G disse:

          Meu caro Realista,

          Mansell foi campeão! O que mais você espera de um piloto, além dele ser um campeão?

          Mansell criou uma ótima oportunidade para si quando foi campeão em 1992, assinando com a equipe que tinha o melhor carro e um companheiro de equipe lento e com grande conhecimento técnico (Patrese).

          Em 87 ele tentou a mesma coisa, mas seu companheiro de equipe era Piquet. Grande conhecimento, mas um cara rápido.

          Fato é que, no fim das contas, ele acabou como campeão. Isso é saber criar oportnidades para si.

    • ELF_TL72 disse:

      É meio batido, mas um professor uma vez disse que a sorte é o encontro da competência com a oportunidade.
      Eu acho uma boa definição. A oportunidade depende do acaso, mas a competência de saber ou poder aproveitar depende da pessoa.
      Esse exemplo é muito dado para quem costuma prestar concurso público. Salários altos costumam atrair muita gente, mas só quem se prepara bem tem chance.
      A vaga fica entre os mais preparados, os “paraquedistas” de concurso não costumam ter chance. Tanto é que quem costuma a prestar, chega em um nível que consegue emendar umas 3 ou 4 aprovações seguidas em concursos de alto nível.
      Pode ser que dentre os aprovados não esteja o melhor de todos, mas uma hora esse também consegue.
      É que não basta ser o melhor, embora o nível de conhecimento dos primeiros colocados costume ser parelho. Tem que dar a sorte de cair algo da matéria que se domine. As vezes acontece, as vezes não.
      Daí outra brilhante frase: “incrível é que quanto mais eu me preparo, mais sorte eu tenho”.
      Transportando isso para a F1, acho que casa perfeitamente. A sorte tem sua relevância, mas só os bons (quem tem talento e/ou quem se esforça bagarai) estão em condições de aproveitá-la.
      Abraços

      • Marcelo Brum disse:

        Então tá resolvido!!!

        Dêem um banho de descarrego no Rubinho e teremos de novo um campeão brasileiro!!!

        Fala sério…

        • Luiz G disse:

          Marcelo,

          Se a Williams tivesse, neste ano, um carro imbatível, como em outras épocas, Barrichello seria campeão.

          …Mas se a Williams tivesse um carro imbatível, não chamariam o Barrichello…Porque o cara, simplesmente, não tem sorte!!

      • Luiz G disse:

        Elf, esta é uma boa explicação para o que é sorte.

        O caso é que, na F1, quase todos os pilotos tem talento para conduzir um carro superior para as vitórias.

        Salvo exemplos absurdos como Eliseo Salazar e outros espécimes bizonhos, qualquer piloto pode ser um campeão.

        A Williams é o maior exemplo de equipe da F1 que constrói carros super-rápidos e torna um bando de incompetentes em campeões.

        Você diria que Alan Jones, Keke Rosberg, Jacques Villeneuve e Damon Hill foram pilotos talentosos e super-competentes??…Fala sério…

        • ELF_TL72 disse:

          Depende do que vc chamar de talento. Frank Williams com certeza viu algum talento nesses pilotos. As vezes o que se precisa para um carro andar na frente não é um malabarista arrojado, mas alguém constante e burocrático. As vezes um carro precisa ser levado ao limite para ser rápido. Outras vezes, nasce tão superior que só precisa de uma condução segura para se manter na ponta. Estes pilotos que vc citou foram competentes para chegar onde estavam e se aproveitar da chance que ganharam.
          Incluo nessa lista pilotos de outras equipes como o James Hunt e o Kimi, os campeões mais “sem querer” da história.
          É que para alguém dar a sorte de uma vitória “cair no colo” quando acontece algo com os primeiros colocados, precisa pelo menos estar em segundo ou terceiro para aproveitar a chance. E se vc já está lá na frente para comer pelas beiradas, não é só a sorte que te colocou ali perto, embora ela ajude muito.
          Abraços.

        • Luiz G disse:

          Pô…Mas o cara estar em terceiro e uma vitória cair no colo é a sorte em seu estado mais puro.
          Tudo bem…O cara teve a competência de estar em terceiro, e não em décimo.
          Veja bem: Não estou dizendo que um débil mental pode guiar um F1. Estou dizendo que um piloto com um mínimo de competência pode ser campeão se tiver muita sorte.
          James Hunt, Rosberg, Raikkonen, JOnes ou Hill não eram “incompetentes”…Mas não eram tão completos como Piquet, Alonso, Senna, Lauda ou Prost…Mas foram campeões por um golpe de sorte.
          No fim das contas, sorte é determinante.

    • Eudemar disse:

      Button em 2010, fez alguma corrida como o Hamilton, que chega e ultrapassa, e dá shown de pilotagem!
      Campeão de F1, mais sem graça, está na Mclaren e não disputa posição com ninguém, deveria ter colocado o carro por dentro e ido prá cima do Schumacher, com decisão de campeão, ou deixa eu passar ou vai os dois prá brita, com faz o Hamilton, ou fez o Villeneuve, em Jerez de La Fronteira, que arriscou, teve o choque com o Schumacher, que se ferrou com amanobra de tirá-lo da corrida, e Villeneuve foi campeão, na última corrida de 1997.
      Supresa o Alonso? Teve sorte com o Vettel e com o estouro do pneu do Hamilton. Não fez nada demais neste gp. Ficou na sua posição esperando a sorte dar-lhe uma mãozinha! E a Ferrari não está lá essas coisas não! Vai ter que pilotar muito se quiser ser campeão!
      Existe preferências sim, como fizeram com o Rosberg, que vinha bem em todas as corridas, e neste gp, não marcou nem um pontin ho sequer! Sacanearam o Rosberg e vão continuar a sacanea-lo, até o fim do campeonato, se ele ficar atrás do Schumy em Mônaco, pois Schumy não aceitaria, levar a lavada de pontos, que estava levando!
      Devido às manobras contra o Damon Hill e ao Jacques Villeneuve, nunca admirei o Schumacher, na F1. Em 1998 e 1999, torci para o Mika Hakkinen.
      Hamilton tem que se focar no campeonato, quando não der para vencer, aceitar a posição e faturar os pontinhos que der e faturar o título, que em 2008, venceu o Massa e na última corrida e volta do gp de Interlagos!
      É bom que o campeonato continue embolado, com chances para muitos pilotos, pois todos ainda tem chances de pensar em título.
      A Williams tornou-se a prima pobre da F1 atual, ao desfazer a parceria que tinha com a BMW. Ela teria conquistado mis títulos, se não fosse a teimosia do Frank, na escolha de pilotos, sempre buscando o mais em conta, ao invés de contratar um competente!

  16. RT @ivancapelli: Pronto. Pitacos chatos sobre uma corrida chata lá no blog. http://bit.ly/cfwech

  17. paulosk disse:

    Qual a capacidade de público dos autódromos da F1? Eu não sei não.

  18. paulosk disse:

    Pergunta ao Capeli:
    Qual a capacidade de público dos autódromos da F1?

  19. adonhiram disse:

    Pô a corrida da espanha não foi chata!!! é repetição de anos anteriores!! troca de figurinha marcada!! o poroblema é que es outras coridas não foram em locais tão conhecidos por todos! agora é apenas uma questão de quem tem mais sorte e mais dinheiro dentro da sua equipe

  20. ren4n disse:

    RT @ivancapelli: Rapidinhas: GP da Espanha http://bit.ly/cIi9sH

  21. [...] This post was mentioned on Twitter by Capelli, Leonardo Pimenta. Leonardo Pimenta said: Rapidinhas: GP da Espanha http://bit.ly/9g3RLE #F1 [...]

  22. Capelli disse:

    Pronto. Pitacos chatos sobre uma corrida chata lá no blog. http://bit.ly/cfwech

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>