MENU

18 de outubro de 2009 - 16:20Análises, Vídeos

Rapidinhas: GP do Brasil

Foto: Reprodução/Adrivo.com

Foto: Reprodução/Adrivo.com

- Vitória de Mark Webber e título de Jenson Button em uma corrida quente no começo, mas que foi ficando morna até terminar fria e sonolenta.

- Foi uma prova bastante movimentada, se considerarmos a média da temporada, mas foi um espetáculo bem menos eletrizante do que Interlagos costuma proporcionar.

- Rubens Barrichello, que prometia ser o protagonista da corrida por correr em casa, brigar pelo título e largar da pole position, acabou apenas em oitavo lugar e deu adeus a qualquer chance de título. Mas não que o brasileiro tenha feito uma corrida necessariamente ruim. Largou bem na frente, escapou das confusões atrás de si, mas teve sua estratégia de largar leve prejudicada pela entrada do Safety Car. Não pode abrir nenhuma diferença nas primeiras cinco voltas, o que lhe foi fatal.

- Quando parou para seu primeiro pit stop, havia aberto apenas três segundos de vantagem para Mark Webber, tempo insuficiente para conseguir manter a liderança depois da parada do australiano. Para piorar, perdeu também a segunda posição para a BMW de Robert Kubica. As coisas ficaram ainda mais ruins para Barrichello quando seu carro voltou muito mal para o segundo stint, perdendo terreno volta a volta. E, como cereja do bolo, um dos pneus de seu terceiro jogo furou, o obrigando a uma parada extra nos boxes.

- Para tristeza da torcida brasileira, a má sorte que costuma acompanhar Barrichello em Interlagos apareceu novamente.

- Já Jenson Button, quinto colocado e campeão do mundo, era só sorrisos. Teve muita sorte na primeira volta, quando ganhou cinco posições graças aos enroscos de Kimi Raikkonen, Adrian Sutil, Jarno Trulli e Fernando Alonso. Também ganhou posições quando Nico Rosberg quebrou e Rubens Barrichello teve problemas. Mas no entanto, fez uma corrida empolgante nas primeiras voltas, com ultrapassagens arriscadas e arrojadas sobre Sebastien Buemi, Kazuki Nakajima e Kamui Kobayashi.

- Sua disputa com Kobayashi, por cerca de 20 voltas, foi um dos melhores momentos do GP do Brasil. O japonês mostrou-se o melhor estreante da temporada, fazendo uma corrida segura e disputando posições com raça. Depois de ser ultrapassado por Button, protagonizou uma disputa histórica com Kazuki Nakajima no “S do Senna” e na Curva do Sol. Conseguiu ficar à frente, depois de dividir três curvas de forma impressionante.

- Algumas voltas depois, os dois bateram quando Kobayashi deixava os boxes. Num misto de imprudência de ambos, quem se deu mal foi Nakajima, que foi parar na grama e bateu forte no muro. Kobayashi fechou a porta um pouco além do necessário, mas Kazuki também foi imprudente. Acidente de corrida.

- Mas voltando a Button, se o inglês fez uma segunda metade de temporada pra lá de apagada, hoje em Interlagos viveu uma de suas melhores atuações. Arriscou até mais do que o necessário e mereceu levar o caneco.

- Ainda que suas últimas corridas não tenham sido grande coisa, Button leva o título pelo conjunto da obra. Ganhou seis das primeiras sete provas da temporada e só perderia o campeonato se fizesse uma grande besteira. Pode não ter mais brilhado tanto, mas besteira também não fez. As circunstâncias da conquista, com apenas um pódio nas últimas nove corridas, podem até deixar seu título menos brilhante, mas não apagam seus méritos. Ganhar seis em sete não é para qualquer um, e foi com essa arrancada que Button garantiu um inicialmente improvável título mundial.

- Quem também garantiu o título hoje foi a Brawn, que sagrou-se campeã de construtores. Foi a primeira vez na história que um time estreante conseguiu tal distinção.

- Voltando à prova, Mark Webber sobrou com a Red Bull. Era o melhor carro do final de semana e conquistou uma daquelas vitórias que, para quem olha de fora, parece que nem precisou de muito esforço. Não teve adversários e disparou na frente depois que Barrichello parou nos boxes. Sebastian Vettel, vindo lá do fundão, conseguiu ainda chegar em quarto, provando a superioridade dos carros de Adrian Newey em Interlagos.

- Ótimas apresentações também de Robert Kubica e Lewis Hamilton, que completaram o pódio. A McLaren aproveitou bem seu acerto para tempo seco e ainda acertou na mosca ao mudar a sua estratégia logo no começo da prova, com a entrada do Safety Car. A ousadia foi paga com um merecido pódio para Lewis.

- Quem poderia ter feito mais na prova, mas abandonaram logo no começo, foram Jarno Trulli e Adrian Sutil. Os dois saíam da segunda fila e poderiam brigar pelo pódio, mas se enroscaram na primeira volta. Na minha avaliação, Trulli foi otimista demais ao tentar passar por fora na descida do lago. Não tinha como, foi parar na grama e causou um acidente bastante sério, no qual acabou sobrando até para Fernando Alonso. Desceu do carro furioso, gesticulou loucamente xingando Sutil, mas sem muita razão. A postura que ele reclamava do alemão foi exatamente a mesma adotada por ele próprio quando fez Kubica sair voando com sua BMW no Canadá, há dois anos. Trulli também não é dos pilotos mais prudentes e não pode reclamar de nada.

- Daqui a quinze dias, em Abu Dhabi, confraternização de final de temporada. Em jogo, apenas o vice-campeonato, que agora está nas mãos de Sebastian Vettel. O alemão tem dois pontos de vantagem para Barrichello, que não sei se se esforçará por uma classificação simbólica como essa. Deverá correr em busca da vitória e, se ela não for possível, duvido que corra apenas com o objetivo de vencer Vettel.

- Foi uma temporada esquisita, mas deixo o balanço do título de Button para amanhã. Parabéns ao novo campeão.

Resultado GP do Brasil 2009

Comentários do Facebook

comentários

27 comentários

  1. Ylan Marcel disse:

    Falam aí de que a Brawn prejudicou com Burrinho. Só que vcs esquecem das cagadas que o ídolo de vcs fez! Como na Austrália, na Turquia, corrida cheia de barbeiragens e uma rodada, além da pífia largada na Bélgica. Foram nessas provas que Ruizinho Pé de Ferro perdeu o caneco!

  2. Fabiano disse:

    Parabéns pela coerência e respeito do autor e de seus leitores. Achei que haveria um monte de posts detonando o Barrica, mas vi que, mesmo os que não gostam dele, admitem que o brazuca fez um trabalho bem feito e se esforçou até onde pode. Acho que ele vai, sim, ter fôlego para disputar o vice, afinal ainda não está seguro em 2010 e uma vitória será útil. Além disso, agora as atenções da Braw não vão estar todas sobre o Jenson.

  3. Sheldonn Rêis disse:

    Desde ontem tento fazer um comentário a respeito da corrida, mas o nó na gartanta (que conseqüêntemente afetou o pensamento) ainda não se desfez. Foi um resultado muito triste para toda a torcida que se fez em relação à uma vitória brasileira na prova.

    Corrida:
    Acredito que é consensso que a entrada do safety car logo na primeira volta e a sua permanência por 3 ou 4 voltas afundou a estratégia do Rubens. Ele até conseguiu abrir uma vantagem relativa para o Mark e o Robert, infelizmente não foi suficiente. É bom deixar claro que não percebi falta de competência ou desempenho do piloto brasileiro, mas sim falta de performance do carro, o qual necessitaria de uma condição excepcional tais quais aconteceram em Valência e Monza.
    Jason fez uma excelente prova, é evidente que foi extremamente beneficiado pela confusão que aconteceu na primeira volta e por 2 quebras, porém foi super agressivo e lutou muito pelas posições para definir logo o título, pois certamente a pressão deveria estar lhe consumindo. Contou muito com a circunstância favorável (e essa é inerente a qualquer um que foi campeão), no entanto não acredito que ele teria tido um resultado tão bom caso não houvesse acontecido toda aquela lambança no início da prova, chego até mesmo a pensar que nem aos pontos ele chegaria. Destarte sua atitude agressiva fez com que limpasse um pouco a mancha que ainda está sob a sua taça, mediante tão medíocre atuação a partir da sétima prova do campeonato, com exceção da corrida de Monza.

    Campeonato:
    Concordo com a opinião dos amigos acima. Foi uma temporada no mínimo esquisita, mas o melhor termo para definí-la é politicamente incorreta. A vantagem concedida à Brawn GP se deu por puro interesse da FIA e da FOM. Max e Bernie (chefes das respectivas instituições) permitiram o uso do difusor, o que fez com que a BGP tivesse uma enorme vantagem no início do campeonato, com o intuito de enfraquecer a FOTA, pois esta se mostrava forte no começo do ano e todo esse poder poderia se traduzir em pressões perante a FIA por um regulamente mais desportivo, por assim dizer e em pressões perante a FOM por um maior repasse de recursos gerados por eles mesmos, ou seja, as equipes promovem o espetáculo, mas ficam com a menor fatia. Tal atitude foi um verdadeiro tiro no pé de ambos; o Max perdeu o direito de se candidatar a re-reeleição e com fé nas forças divinas não conseguirá fazer o Jean Tod como seu sucessor, enquanto o Bernie teve que dividir melhor a fatia do bolo entre ele e as esquipes, sob pena de uma cisão entre a FIA e FOTA.
    Toda essa condição política influênciou diretamente no resultado do campeonato, trazendo-nos a luz mais um capeão de ocasião, tais quais outros que já presenciamos na história.
    Jason:
    Foi muito competente ao vencer as primeiras 6 corridas. Foi confiante, agressivo e muito, mas muito beneficiado em favor das circunstâncias. Após a sétima corrida fez um campeonato medíocre e muito aquém daquele que se esperava muito em razão do início esmagador. Certamente a sua atitude de “isso não é comigo” deve ter feito grandes campeões se revirarem no túmulo ou se remoerem por dentro. Não percebo essa sendo uma atitude de um piloto campeão e vencedor. O piloto campeão é aquele que briga pela vitória, mesmo quando essa não é possível. Briga pelo seu melhor resultado e não por aquele que precisa. Essa é uma atitude muito triste que coroa um campeonato exdrúchulo.

    Rubens:
    No melhor dizer do Galvão Bueno durante todo final de semana: _”O Rubens é um guerreiro”. Realmente acredito que essa seja a melhor frase para definir o que foi essa temporada para o piloto brasileiro. Logo no início dela o Rubens atravessou uma sério de problemas técnicos tanto em relação aos freios quanto em relação ao incoveniente “anti-stall” em sua embreagem. É fato que o Janson logrou êxito nas seis primeiras corridas, no entanto é forçoso relembrar quem em 2 delas o Rubens sofreu com o “anti-stall” e em uma delas o Ross decidiu dar ao Janson a vitória. Acredito que se o equipamento de ambos os pilotos fossem parelhos, certamente o campeonato teria se estendido e a disputa teria sido bem mais acirrada.
    Para finalizar a análise acredito que o Rubens mostrou fibra e muita, mais muita garra para continuar lutando, andando rápido e vencendo. Fiquei triste com o resultado, mas com o peito lavado com a atuação do brasileiro nessa temporada.
    Que venha 2010 e que essas disputas muito mais políticas do que desportivas se afstem das pistas, que o talento do trinômio equipe-carro-piloto seja realmente determinante na decisão do título posterior.
    Abraço a todos e desculpem-me o longo desabafo.

  4. Lucas disse:

    Por falar em “humor” – no bom sentido da palavra, sem atacar ninguém – mal posso esperar o que o Bruno Mantovani nos reserva na charge sobre esse GP. Acontecimentos não faltaram! :D

  5. PG disse:

    Capelli, no comentário pós-treino:
    “Particularmente, tenho minhas dúvidas com relação a uma estratégia de largada leve em uma corrida com previsão de chuva. Entradas do Safety Car são bastante previsíveis e elas geralmente arruínam quem larga leve. Na brincadeira de chove-para que deve acontecer amanhã em Interlagos, Barrichello precisará torcer muito para que a sorte lhe sorria novamente.”
    Capelli, me manda os números da Megasena por e-mail, por favor.

  6. Thiago disse:

    Pabéns ao Jesson, afinal, fez por merecer.

    As 6 vitórias foram cruciais para essa conquista. Após, administrou. Não precisava fazer mais que isso, deixando o problema na mão dos outros 19. Fez o típico “quem quiser que corra atrás”. Fez o certo.

    Já Rubinho, lamenta-se. Foi a última grande chance de se sagrar campeão. Sim, última, pois sabe-se que estará na Williams em 2010 para desenvolver. Será um processo de reestruturação com novos chassi e motor (boatos dão conta que será Cosworth). Assim, poderá no máximo beliscar uns pontos. E só.

  7. Ever Rupel disse:

    é…e mais os freios…Rubens, na entrevista a Luciano Burti disse:
    “quando me permitiram usar os freio do Button…”

    o comentario do Seu Mário aqui tem bastante fundamento

  8. Ever Rupel disse:

    “…Button leva o título pelo conjunto da obra. Ganhou seis das primeiras sete provas da temporada e só perderia o campeonato se fizesse uma grande besteira. …”

    hum, até concordo, mas os erros de estrategias e jogos de pneus ruins
    acontecerem mais com Rubens do que com Jenson…
    piloto ingles, equipe inglesa, financiada pelo governo ingles…GP de Barcelona…

    sei não…

    mas o Barrica fez uma ótima temporada e tá de parabéns!!

    PS: Kobayashi rules!

  9. Marco Toyota disse:

    Sobre o campeonato, acho que não cabe mais comentários. Button Campeão, com todos os méritos!!!!
    Se tivesse o prêmio de Rookie of The Year na F1, o Kobayashi ganharia logo na primeira corrida. Muita personalidade e segurança na tocada em uma pista difícil, até mesmo sob chuva.

    Trulli deveria ganhar o prêmio ‘Perigo ambulante’. Só faz m… na primeira volta.

  10. Will disse:

    Esse GP Brasil foi bem acima da média dos demais circuitos da temporada e pela disputa do título mundial não pareceu tão morno.
    Para uma corrida no seco, foi bem emocionante, com muitas disputas, acidentes e reviravoltas.
    Barrichello fez o melhor que pode, mas não foi o suficiente, o carro não estava muito bom e ainda o proverbial azar que leva em Interlagos o seguiu novamente.
    Seria merecida uma vitória após tantos anos de tentativas na F-1.
    Button foi campeão com méritos: soube aproveitar o melhor momento do carro na primeira metade do ano e administrou desde então, com constância e segurança.
    Hoje fez uma prova de campeão do mundo: não tomou conhecimento dos adversários, mesmo tendo um campeonato a vencer, ultrapassou, brigou e teve muita sorte (sorte de campeão).
    Parabéns ao Jenson Button e a Brawn GP pelo campeonato surpreendente de 2009!

  11. Luiz G disse:

    Capelli,
    “Temporada esquisita” é um termo gentil para uma “temporada ridícula”.

    Um cara domina a primeira metade do campeonato.
    Esse mesmo cara não faz mais NADA o resto da temporada.

    Ninguém passa ele nos pontos porque ninguém faz nada melhor…

    Um bando de carros perdidos, correndo atrás de uma vitória a mais na carreira já que todo mundo perdeu o rumo depois da sexta corrida da temporada.

    Foi a temporada mais idiota que já assisti…com um campeão de ocasão.

  12. Fábio Mota disse:

    Ano passado o Button deu uma entrevista dizendo que se tivesse um carro bom, como era a Mclaren na época, ele também poderia ser campeão como Hamilton foi. Muitos falaram que era choro de perdedor. Ele estava certo e provou isso nesta temporada, enquanto teve carro fez o seu melhor e agora é campeão mundial.

  13. FR disse:

    Isso é bom para o torcedor brasileiro e a imprensa pararem com essa mania de secar adversários dos brasileiros.

  14. Rodrigo Balbino disse:

    Eu acho que faltou competência e braço ao Barrichello neste ano para superar os problemas que enfrentou neste ano, principalmente para buscar mais pontos enquanto Jenson estava pontuando pouco – se bem que tinha a forte concorrência das Red Bull e mesmo da McLaren e Ferrari em algumas provas. Se o próprio disse que a sua equipe conspirava pra ele não vencer (Blah-blah-blahing na Alemanha), que pelo menos fosse constante e regular na soma de pontos importantes para a luta deste campeonato. Em antítese, o inglês merecidamente leva a taça – teve competência para desenhar o título nas sete primeiras corridas e depois administrar a liderança – esse ano de 2009 para ele compensa toda a decepção que sofreu quando andava na carroça da Honda…

  15. Iron disse:

    “O humor brasileiro lhe agradece” pois se ri de um cara brasileiro que fez o que fez e agora pelo simples fato de uma derrota detonam todo o trabalho dele. Eu desde o começo do ano defendo a idéia do Rubinho se aposentar. Nitidamente ele foi prejudicado pela Brawn com essa história de Freio traseiro bichado que não deixava se usar a tal “calota”. Em Barcelona não foi Calota e sim estratégia de box para favorecer o compatriota do Ross Brawn (com toda a gratidão de Vossa Magestade a Rainha Elisabeth II). Ross Brawn era um daqueles chefes de equipe criticados pelo Rubinho pelos favorecimentos ao Schumacher. Para Ecclestone, o manda chuva maior de Deus na F1, Rubens cumpriu muito bem o papel de “2º piloto”. NÃO SERIA INTERESSANTE VER O EX-2º PILOTO DO ALEMÃO GANHAR O TÍTULO E DIZER QUE FOI PREJUDICADO PELO PODER POLÍTICO DO SCHUMACHER NOS TEMPOS DE FERRARI. O Rubinho, ou é burro para entender essa lógica na F1, ou então ainda assim tentou vencer.Se eu fosse ele, por uma questão de dignidade e respeito aos seus filhos, ele não pode ser mais piloto nessa categoria-rolo. A tendência na Williams é ele ser segundão do Nicko Hulkenberg que é empresariado pelo mesmo cara que gerenciou o Schumacher. SE MANDA DESSA RUBINHO!!!! UM ABRAÇO!!!

  16. mauricio disse:

    Depois de mais de 20 anos, dois pilotos do mesmo país conquistam o mundial consecutivamente. A última vez foi com Piquet e Senna, 87-88.

  17. Leonardo Borges disse:

    Parabéns ao button campeonato foi merecido afinal não é todo ano que se vence 6 seguidas em 7 , mas fico triste , por ver pessoas dizendo algo do tipo , ” o humor brasileiro lhe agradece” não sou barrichelista , mas acho que depois de tudo que barrichelo passou merecia um pouco mais de respeito …
    Acho que esse lance de pé de chinelo é coisa do cassete eplaeta que não tem mais inspirção pra faze um progrma de humor decente que nem a acarajete love ai não tem algo melhor pra fazer pega no pé de alguem pra tentar ser engraçado …
    Mas acaba sendo ridiculo com sempre foram…

  18. Lucas disse:

    Button merecia mesmo esse campeonato. Seria injusto se ele não ganhasse, levando-se em consideração tudo o que ele conseguiu no início da temporada. Mas eu esperava que esse título só fosse ganho em Abu Dhabi. Para o Brasil eu estava torcendo para o Barrichello, mas foi uma pena ele ter tido uma corrida tão ruim, perto do desempenho que ele teve na classificação.

    Isso tudo foi o preço que o Barrichello pagou por ter demorado tanto para se acostumar com o carro, já que na segunda metade da temporada ele foi melhor, mas aí já era tarde. Talvez fosse melhor ele continuar na Brawn ano que vem, embora isso pareça muito improvável. Se ele muda de equipe teria novamente mais um carro para se adaptar.

  19. Seu Mário disse:

    Parabéns…claro…ao Button por sua conquista.

    E pensar que nos tempos de Honda e de Hamilton campeão do mundo ele era tido em seu país como um zero à esquerda

  20. Rob disse:

    O porrinha louca do Hamilton que furou o pneu do rubens..
    Enfim..acontece..
    Quanto ao button , um campeão apagado…
    Mas merecido sem duvidas

  21. Szeliga disse:

    acho que o barrichello não vai ter a mesma empolgação em lutar por um vice-campeonato..

  22. Seu Mário disse:

    Parabéns ao Rubens por não abandonar a luta e acreditar até o fim.

    Não desmerecendo o Button, mas ao longo da temporada o Ross Brawn foi dando aquela força. Sabe como é…câmbio ruim ali, freio com problemas acolá, pneuzinho meia boca aqui, pit stop sacaninha lá. E enquanto isso o carro de Jenson era infalível…

    Parabéns também ao Kobayashi, pelo “Xzão” no campeão do mundo em seu primeiro GP.

  23. Larissa G. Oliveira disse:

    Adorei a corrida. Não achei que ficou morna. Eu tava tensa do início ao fim do GP, esperando por chuva, ou batida, ou qualquer coisa. Pior são as corridas onde você nem tensa fica pois sabe que não vai acontecer nada disso. Kubica e Hamilton no pódio, Vettel e Button em seguida. O fundão dando show. Eo eo Kobayashi é o terror!

  24. Rodrigo Balbino disse:

    Parabéns ao Jenson Button. O humor brasileiro lhe agradece

    Casseta e Planeta, Pânico na TV, CQC…se prepare Barrica…

  25. ELF_TL72 disse:

    Parabéns ao Jenson Button. O humor brasileiro lhe agradece.

    “Logo, será campeão.” (Michael Schumacher, sobre Jenson Button – Revista Grid, especial 4 Rodas, em março de 2001).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>