MENU

16 de julho de 2009 - 0:22Curiosidades, História, Vídeos

É fogo!

Durante muito tempo, o fogo foi um dos maiores medos dos pilotos de Fórmula 1. Pelo menos cinco pilotos perderam a vida na categoria em acidentes seguidos de incêndio. Em 1967, Lorenzo Bandini foi a vítima no GP de Mônaco. No ano seguinte, Jo Schlesser foi vítima do fogo em sua Honda no GP da França. Em 1970, Piers Courage morreu a bordo de um De Tomaso da equipe de Frank Williams em Zandvoort, mesmo circuito em que Roger Williamson teve uma das mortes mais cruéis da categoria, em 1973. E em 1986, Elio de Angelis foi vítima de um incêndio em sua Brabham durante testes em Paul Ricard. Os austríacos Niki Lauda e Gerhard Berger, ambos com Ferrari, sobreviveram a graves acidentes seguidos de incêndio, em Nürburgring e Imola, respectivamente. O de Lauda, mais sério, deixou seu rosto marcado pelo resto da vida. Berger teve bem menos sequelas.

Mas não é de tragédias que quero falar. Mas sim de momentos de pirotecnia. Na Fórmula 1, o maior risco de incêndio está nos pit stops. Um pequeno vazamento de combustível, em contato com as partes quentes do carro, pode gerar assustadoras e espetaculares imagens. Mas, felizmente, não há registros de acidentes graves em pit stops da categoria.

No melhor estilo CQC, resolvi fazer um Top 5 dos incêndios em pit stop. Vamos lá?

————-

5. Felipe Massa – GP da Espanha de 2007

O mais recente de todos. Em um de seus dois pit stops na corrida, um pouco de gasolina vazou na Ferrari de Felipe Massa. A imagem até assusta incialmente, mas absolutamente nada aconteceu. Havia pouco combustível, que logo evaporou. Com o movimento do carro, o incêndio se extinguiu e o brasileiro pode prosseguir na corrida. E venceu.

————-

4. Keke Rosberg – GP do Brasil de 1983

Muito provavelmente, o primeiro acidente flamejante em um pit stop na Fórmula 1. A Williams de Keke Rosberg pega fogo e o piloto desce do carro. Porém, volta assim que o incêndio é extinto. O finlandês ainda chegou em segundo na corrida, mas foi desclassificado por ter o carro empurrado pelos mecânicos para voltar para a pista. Numa decisão bizarra da então FISA, ninguém foi alçado à segunda posição. Foi a única corrida da história da F1 que não teve um segundo colocado.

————-

3. Michael Schumacher – GP da Áustria de 2003

Nem um incêndio parava Michael Schumacher. Seu carro pegou fogo nos pits, mas o alemão permaneceu impávido, aguardando que seus mecânicos dessem fim às chamas. Acompanhou tudo pelo retrovisor e voltou à pista para ganhar a corrida, mesmo tendo perdido mais de dez segundos com o incidente.

————-

2. Eddie Irvine – GP da Bélgica de 1995

A Jordan de Eddie Irvine virou uma bola de fogo em Spa, 1995. Os mecânicos foram bastante rápidos, mas o carro apagou e o irlandês não pode mais retornar à prova, na qual ocupava a sexta posição.

————-

1. Jos Verstappen – GP da Alemanha de 1994

Era o ano do retorno do reabastecimento à Fórmula 1, depois de dez anos de proibição. Ainda pouco preparados para emergências como essa, os mecânicos da Benetton deram um show de patetice. Muito combustível vazou, alguns saíram correndo, outros ficaram olhando para ver o que aconteceria. O carro explodiu em chamas e ao incêndio seguiu-se um corre-corre danado, até o piloto saiu correndo em chamas para dentro dos boxes. Felizmente, Verstappen teve apenas algumas queimaduras no rosto e nenhum mecânico ficou seriamente ferido.

Comentários do Facebook

comentários

38 comentários

  1. cabralada disse:

    Vai pegar fogo no carro!! Corre.. corre… // No melhor estilo CQC, um Top 5 dos incêndios acontecidos em pit stop http://bit.ly/U5iNe

  2. batista disse:

    Os acidentes de massa, shumaker e do keke nem são digno de se dizer que são pirotécnicos, muito menos de dizer que fazem parte do top 5 da f1.

    Outra coisa meu caro capelli, você vive esquecendo que nos vivemos no BRASIL, e que aqui falamos em portuques, e que no geral odiamos ficar boiando quando os jornalistas não traduzem de outras linguas os palavriados ou girias das corridas de f1.

    Agradeceria muito se você parasse de pensar que todo mundo sabe falar ingles e comessa-se a traduzir para o velho e bom portugues de nossa patria amada.

    Mas fora isso, suas reportagens são otimas.

  3. Legal o blog do Capelli. A F1 vai c + compreensível para os simplistas: http://bit.ly/3rK2mL E o Top 5 do Fogo na F1: http://bit.ly/bjSZQ

  4. Legal esse blog do Capelli. A F1 vai c + compreensível para os simplistas: http//bit.ly/3rK2mL E o Top 5 do Fogo na F1: http://bit.ly/bjSZQ

  5. É fogo! – Um TOP 5 dos incêndios acontecidos nos pit stops da F1 – http://bit.ly/U5iNe – direto do Blog do @ivancapelli

  6. Sajuuk disse:

    outro vídeo de Hockenheim comentado por Steve Matchett que era mecanico da benneton na época.
    http://www.youtube.com/watch?v=HdyuN_cUqjA

  7. Mauricio Camargo disse:

    Se não me engano o Pedro Paulo Diniz, em Ímola, teve um incêndio porém depois que deixou os boxes.

  8. Rodriguera disse:

    Capelli, sempre vejo falarem que o mclaren de 89 foi o melhor carro de toda a história da F1. Aproveitando a ideia do top 5 incêndio, você podia fazer um top 10 dos carros né? E quem sabe um top 10 dos pilotos! Essa será polêmica né? De repente até rolava uma fazer uma enquete…

    Parabéns pelo site, sou mais um abnegado que sempre passa por aqui!

    Abraço

  9. Daniel Ramos de Oliveira disse:

    Putz o do pirmeiro lugar foi o pior,ali o piloto deve ter vido toda a sua vida em 1 segundo,ainda bem que ele conseguiu sair bem,apesar das pequenas queimaduras no rosto.Graças a Deus que atualmente nunca mais aconteceu esse tipo de situação de 1994,atualmente são pequenos incêndios e na sua maioria o piloto continua na corrida como o do Felipe Massa em 2007 e do Shumacher em 2003.

  10. Arthur Simões disse:

    É verdade!
    Tem “dois Rosbergs”!

    Ai ai..velhos tempos…

  11. Rodrigo disse:

    Essa foto da “Jordan” aí em cima ficou muito legal. Agora, me diz uma coisa, Capelli: se o campeonato tá do jeito que tá, imagine se ainda tivéssemos Bridgestone e Michellin na parada! Sempre fui contra o monopólio… esse então, nem se fale… []s

  12. Top5: incêndios na Fórmula 1: http://ow.ly/hse3 #f1 #blog

  13. leoengelmann disse:

    Recebi mas perdi, RT @ivancapelli – top 5 incêndios na F1: http://bit.ly/bjSZQ

  14. Rianov disse:

    Capelli,
    Reparou no capacete de um dos “mêcanicos” da Williams no incêndio do Keke Rosberg? Parece que o Keke emprestou seu capacete reserva ao cara…heehee…
    Quando Rosberg sai do carro, parece ter dois ‘Kekes’ nos boxes
    hauhuahauha

    Muito bom o top5
    Abraços

  15. Paulo Renato Pinheiro disse:

    Sei que não tem muito a ver com post, mas olhando imagens por aí na internet a respeito de f1 vi essa bela imagem e queria saber se alguém sabe algo a respeito dela.
    Aparentemente parece ter sido feita para simular como a Jordan seria na temporada de 2009, respeitando o regulamento e etc. Mas não tenho a menor certeza disso.
    Se aguém souber algo diga aí e me esclareça essa dúvida.
    Só posso dizer que bonito com certeza ficou esse carro.
    http://queirozdesign.files.wordpress.com/2009/05/jordan-f12009.jpg

  16. André, apesar de a Osella do Riccardo Paletti ter pegado fogo após a batida na traseira do Pironi, ele sequer se queimou, graças à eficiência do macacão. Sua morte foi provocada em função do esmagamento do tórax, pois com o choque a coluna de direção ficou cravada em seu peito, o que provocou várias hemorragias internas.

  17. Quando perguntaram ao Verstappen, na corrida seguinte, o que ele aprendeu com o acidente na Alemanha, ele respondeu: “Não sei se vou abrir a viseira durante o reabastecimento”.

  18. Oswald Martins disse:

    Por causa desse incendio do Verstappen, durante um tempinho fiquei com receio de ver as paradas! =)

  19. Andre Dias disse:

    A morte de Ricardo Paleti no Canada em 82 também não foi por causa de fogo?

  20. Vermeulen disse:

    Piers Courage também morreu carbonizado em Zandvoort/70, três anos antes de Williamson. http://www.youtube.com/watch?v=d7K57FAOoSo

  21. Rodrigo disse:

    Capelli, esse do Verstappen, se não me engano, ocorreu porque a Benneton não usava um filtro obrigatório na mangueira de combustível, evitando que algum corpo estranho passasse por ali. Pelo que lembro, foi por isso que Schumacher e Senna pararam juntos para o pit stop no Brasil, com Senna em primeiro e o Alemão em segundo. Mesmo parando juntos, o Schumacher saiu antes e voltou na frente. Aí deu no que deu, né? Foi isso mesmo ou tô com memória ruim??

  22. Allan Guimaraes disse:

    Faltou o Jo Schlesser, em Rouen, França (1968)
    http://www.youtube.com/watch?v=uepJhL9wdgc

  23. Eduardo De Campos disse:

    Assisti um documentário sobre o Lorenzo Bandini que mostrava cenas chocantes do seu acidente e o corpo queimado sendo retirado ainda com vida do carro.Duas das imagens que não esqueço de minha infância foram os acidentes do Lauda e também do Ronnie Peterson.

  24. João Marcelo disse:

    essa do carro do massa pegando fogo ficou até bonita, vale um poster.

  25. O maior perigo nesse incêndios é o rosto do piloto pois parte do combustível que vaza, invariavelmente entra no capacete através da viseira. De resto, as equipes estão extremamente bem preparada para conter incêndios, que estão cada vez menores…

    Ano que vem acaba a “pirotecnia” com o fim do reabastecimento. O que incorre num novo perigo que é o dos carros andando com os tanques cheios no início das corridas, que é qdo acontecem a maioria dos acidentes. Um vazamento de combustível numa batida é muito mais perigoso pois os bombeiros não estão a poucos metros do local.

    http://www.blogpitlane.blogspot.com/

  26. Al Unser Jr. disse:

    Na do Keke, reparem no ultimo bombeiro que apare, tinha q ser no Brasil mesmo uma dessas, que vergoooooonha.

  27. Ricardo Silva disse:

    A investigação do acidente do Verstappen revelou que a Benetton modificou ilegalmente o equipamento de reabastecimento para aumentar a vazão de combustível e ganhar tempo no abastecimento.

    Foi na parada nos boxes que o Schumacher ultrapassou o Senna em Interlagos em 1994.

  28. Stanis disse:

    Faltou o de Diniz no GP da Argetina de 1996….muito mais incrível do que todos que vc postou (com a exceção do pit stop da Benetton de Joz Verstappen em 1994)

    • Capelli disse:

      É que o do Diniz não aconteceu num pit stop. Foi um problema na válvula do bocal do combustível, o carro pegou fogo durante a corrida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>